Aprender um novo idioma é um processo contínuo de imersão e vivências

Aprender um novo idioma é um processo contínuo de imersão e vivências

Colégio Pentágono

08 de dezembro de 2021 | 09h50

Por Raquel Sprogis*

Uma preocupação comum entre pais de alunos que fazem cursos de línguas estrangeiras é se eles realmente estão aprendendo um segundo idioma. Para esclarecer essa dúvida, é necessário, inicialmente, entender as possibilidades de avaliação do processo de aquisição linguística, que se consolida ao longo de alguns anos. Durante esse período, é natural que busquemos por manifestações concretas de aprendizagem em nossos filhos e isso também é uma constante na rotina dos professores. Precisamos dessas declarações para nos certificarmos de que estamos no caminho certo e, caso haja necessidade, fazer intervenções mais efetivas para garantir o sucesso do aprendizado.

Muito antes da prova, as avaliações começam no dia a dia. As observações diárias dos alunos fornecem pistas valiosas sobre o ponto de progressão em que se encontram. Quando falamos do desenvolvimento da oralidade na língua inglesa, estamos nos referindo a essas observações, que são cruciais para que o potencial máximo seja alcançado e os avanços aconteçam de forma sustentável e constante.

As evidências de crescimento podem ser encontradas nos mais diversos momentos. As vivências da rotina apresentam desafios autênticos a serem superados, que exigem a comunicação oral para alcançar objetivos reais. Assim, a avaliação dos conteúdos previamente explorados em sala de aula quando inseridos em um contexto da realidade,  permite formar o aprendizado. É a chamada avaliação formativa.

Esse tipo de avaliação tem maior foco na riqueza do processo de aprendizagem em vez de priorizar somente seu produto final. Constitui-se de quatro etapas que se retroalimentam: desencadear (uma situação-problema, um desafio), observar, analisar e intervir (garantindo que o processo seja positivo e engrandecedor). É possível sistematizar esse movimento ao determinar expectativas de aprendizagem para certas etapas do caminho, tornando possível interferir de forma eficaz no momento certo e, assim,  construir uma trajetória de sucesso. 

Ao aliar esse tipo de avaliação às formas somativas – as tradicionais notas em provas – cria-se uma panorama mais amplo que promove o real crescimento do estudante. Apesar desse tipo de combinação poder ser empregado em diversas áreas do conhecimento, sua aplicação no estudo de um idioma estrangeiro é valioso, pois podemos formar um portfolio da jornada do aluno, com momentos mais espontâneos de produção oral aliados a validações formais de seu conhecimento.

Tal cenário permite que o aluno transite nas situações da vida real de forma natural, adquirindo não só o conhecimento linguístico, mas também outras habilidades essenciais para seu sucesso enquanto cidadão protagonista de um mundo globalizado. Metacognição e reflexão crítica sobre a realidade estão atrelados ao processo de avaliação formativa, promovendo o crescimento da confiança e possibilitando que o aluno aprenda a se expressar de forma consciente. 

Assim, quando um pai ou mãe indagam se o curso de inglês que seus filhos estão fazendo valerá o investimento, a resposta retumbante é: SIM! Saber falar mais de um idioma é um bem valioso, que abre portas para entender e influenciar novos horizontes. Permite que um indivíduo torne-se protagonista da história das comunidades com as quais tem contato, ampliando seu repertório de trocas e enriquecendo não somente a sua própria experiência, como a de todos que o cercam, exercendo assim a cidadania. 

Mesmo que o retorno desse investimento não seja identificado pelos pais no primeiro ano do curso, especialmente quando a criança não tem um objetivo concreto de uso do idioma, é possível afirmar que essas aulas o ajudarão muito na evolução do aprendizado da língua estrangeira. Ao ser exposto a situações reais como uma viagem, por exemplo, poderá se perceber que o seu entorno demanda uma necessidade palpável de empregar a língua estrangeira e, certamente, sua performance no idioma florescerá. Caso essa não seja uma perspectiva próxima, os relatos de desempenho em sala de aula, feitos pelo professor, fornecerão pistas valiosas sobre o caminho que está sendo percorrido.

No Colégio Pentágono, esses valores estão presentes por meio do Departamento Internacional. Os alunos são apresentados a oportunidades de desenvolverem suas habilidades linguísticas ao longo de toda a sua vida estudantil. A trilha de aquisição do idioma inglês permeia todos os anos escolares, adequando sua exigência ao desenvolvimento sociocognitivo de cada faixa etária e promovendo vivências incorporadas à rotina diária. Ao término de seu percurso, o aluno estará amplamente capacitado para tornar-se um cidadão global consciente e atuante, protagonista de sua história e influenciador de sua comunidade.

* Raquel Sprogis é Coordenadora do Departamento Internacional Unidade Morumbi o Colégio Pentágono

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.