A importância de ex-alunos no passado e no presente da escola

A importância de ex-alunos no passado e no presente da escola

Colégio Pentágono

11 Janeiro 2017 | 10h55

CLA_8270

Acredito que as pessoas não saibam a verdadeira importância da escola até saírem da escola. É difícil reconhecer, quando jovens, que acordar cedo todo dia e estudar assuntos com os quais não se tem afinidade é importante para a vida. Quando há esse reconhecimento, ele mais se restringe à importância acadêmica de se passar no vestibular do que propriamente à contribuição da escola para a formação do indivíduo como cidadão. No meu caso, foi somente depois de quatro anos de formada no Pentágono que pude ter a real clareza da importância do colégio na minha vida. Lá, vivenciei grandes momentos, fiz os melhores amigos e construí as bases de grande parte do meu aprendizado pessoal e acadêmico e, por tudo isso, me sinto no dever de retribuir à escola – dessa vez, como ex-aluna.

A retribuição não ocorre apenas no sentido de disseminar o colégio para quem se conhece e de ser um porta-voz legítimo da escola, mas também de contribuir para uma conexão escola-ex-aluno que seja benéfica para ambos os lados. Foi pensando nessa retribuição e conexão que, no ano passado, alguns alunos se reuniram para levantar formas de fortalecer o relacionamento com o Pentágono e criar uma rede forte de ex-alunos que fomentasse o reencontro, o orgulho em pertencer e a recordação de experiências.

Quando vi aquela sala cheia de ex-alunos que se reuniram espontaneamente com o objetivo de retribuir e de se conectar de alguma forma com a escola, foi que eu me dei conta plenamente da importância do Pentágono para todos nós. Foi nesse momento que percebi que estudei em uma escola que não formava alunos para passar no vestibular, mas sim para passar pela vida; uma escola que inspirava valores, a criação de laços e que, por consequência, tinha formado a sua própria rede de ex-alunos que, mesmo fora da escola, ainda queriam se manter próximos. Incrível, não é?

A cada encontro que tínhamos, ficava mais claro para mim que ex-alunos podiam fazer coisas grandes e que nosso papel podia ir muito além de acompanhar de longe a escola: podíamos ajudar a escola a crescer cada vez mais, podíamos retribuir o que nos foi proporcionado em parte dos melhores anos das nossas vidas, podíamos reativar contatos que foram perdidos, nos conectar uns aos outros e com a escola e podíamos reviver os tempos de Pentágono e as lembranças antigas.

É por todas essas oportunidades que temos enquanto ex-alunos e pela abertura que o colégio nos deu quando propusemos a aproximação que dá gosto de ainda estar presente, revivendo tempos que não voltam mais, mas que hoje sabemos que foram os melhores.

Por,
Julia Veras, ex-aluna do Colégio Pentágono