Projeto Teses: um espaço de investigação e autoria para alunos do Ensino Médio

Projeto Teses: um espaço de investigação e autoria para alunos do Ensino Médio

Colégio Oswald de Andrade

11 Março 2015 | 16h17

Um dos elementos centrais do percurso do aluno no Oswald é a oportunidade de conhecer, investigar e problematizar as grandes áreas do conhecimento humano. Nesse sentido, o contato com o pensamento científico, artístico e cultural possibilita a ampliação dos repertórios individuais e coletivos, assim como permite que cada aluno construa suas indagações e tenha espaço para curiosidades e investigações próprias.

aluna-oswald-550

Esse tipo de experiência ocorre ao longo da trajetória escolar, desde a Educação Infantil até o Ensino Médio, em momentos que vamos compartilhar aqui neste blog. Começaremos pelo Projeto Teses, que existe no Ensino Médio do Oswald desde o final dos anos 1980, e que foi criado a partir de algumas questões que tocavam os educadores de nossa equipe: como gerar uma experiência de aprofundamento no trabalho de pesquisa científica e na metodologia de escrita de um trabalho acadêmico? Como organizar um projeto no qual a autoria do aluno e as suas questões de investigação estivessem no centro do processo?

Para darmos conta desses desafios na escola, o caminho escolhido foi o de criar um projeto de monografias no Ensino Médio, conhecido como Projeto Teses. Esse projeto, que acontece no 2º ano do Ensino Médio, propõe ao aluno a escolha de uma disciplina na qual estudará um determinado campo teórico, e na qual construirá uma questão de pesquisa para a produção de uma monografia individual.

alunos-oswald-2-550

Nesse processo, há vários desafios para o aluno:

1 – A escolha do curso: em 2015, por exemplo, o aluno pôde escolher uma das seguintes disciplinas:

  • Psicologia Social;

  • Física e Tecnologia Moderna;

  • Ética;

  • Questões Ambientais;

  • Comunicação, Cultura e Tecnologia;

  • Percepção, atenção e memória: uma abordagem neurocientífica.

2 – A construção do campo teórico e os materiais de pesquisa, focados no contato com leituras e referências acadêmicas próximas do mundo universitário.

3 – A escolha da questão de pesquisa: como escolher o que quer investigar?

4 – A produção escrita: como produzir um texto autoral, mas que, ao mesmo tempo, dialogue e se sustente em referências teóricas relevantes?

A rotina desse projeto é estruturada por um início de curso no qual os professores constroem um campo teórico e conceitual comum com seus alunos e, a partir daí, cria-se uma dinâmica de trabalhado baseada na orientação individual de cada aluno, focada nos aspectos metodológicos de pesquisa, na definição do problema a ser investigado, na escolha e análise da bibliografia e no trabalho com o texto e articulação conceitual das leituras do aluno. Esse trabalho é finalizado em novembro, com a entrega das monografias de todos os alunos e com a apresentação pública de uma parte das pesquisas.

alunos-oswald3-550

O que podemos perceber sobre o impacto desse projeto na trajetória escolar dos alunos do Oswald? Ele é muito marcante: alunos que fizeram a Tese há mais de 20 anos costumam lembrar desse processo, do tema da pesquisa e das dificuldades e conquistas que tiveram ao passar por nessa experiência. Essas marcas podem ser nomeadas: o Projeto Teses leva o aluno a exercer escolhas e a assumir responsabilidade sobre elas; propõe o exercício de autoria e de abertura para que as indagações do aluno possam ser abordadas a partir do conhecimento científico acumulado ao longo da história; e, principalmente, consolida um processo que se inicia na Educação Infantil, que é o de formar um jovem capaz de saber pesquisar, buscar informações, analisar fontes, fazer sínteses e produzir reflexões sobre os fenômenos do mundo. Essas habilidades e competências transcendem a experiência escolar e serão mobilizadas tanto na vida universitária como na vida profissional desses alunos.

Para ampliarmos essa discussão traremos a visão de alguns alunos sobre o Projeto Teses: em nosso próximo post publicaremos alguns depoimentos de quem viveu esse percurso. Aguardem!