Como a Música se integra no currículo do Oswald

Como a Música se integra no currículo do Oswald

Colégio Oswald de Andrade

30 de agosto de 2019 | 14h35

São inúmeros os benefícios da música no desenvolvimento humano. E quando esse desenvolvimento está ligado à infância, os benefícios potencializam-se e podem melhorar questões envolvendo a organização, a criatividade e a socialização, já que o processo musical envolve muito trabalho em equipe. 

Para nós, trabalhar propostas que ampliam a capacidade criativa dos alunos é primordial. Por isso, nossas aulas de Música apresentam às crianças propostas musicais que vão além daquilo que estão acostumadas a ouvir no dia a dia. “Isso tem relação com a riqueza e o embasamento que os alunos precisam ter para se apropriarem de uma cultura musical rica, além de fazer com que eles possam explorar os instrumentos e criar de forma coletiva”, explica o professor Maurício Braz.

Dessa forma, as crianças ampliam seu repertório e aprendem coisas novas, como a ligação da linguagem musical ao ritmo, à escuta, à afinação da voz, ao reconhecimento dos instrumentos, a repertórios e a diferentes estilos de música.

“Estes são alguns princípios importantes que ajudam a orientar nosso trabalho. E tudo envolve muita dedicação por parte das crianças, que têm contato com os instrumentos desde o G2 da Educação Infantil, na Unidade Madalena”, complementa Maurício.

Outra questão relevante envolvendo a formação musical de nossos alunos diz respeito à forma como são envolvidos em todo o processo de criação das atividades. “A partir do 1º ano do Ensino Fundamental I, eles já se apresentam em algumas ocasiões e todas as apresentações envolvem a vivência deles na escola, de forma que façam sentido e que tenham um real significado para eles estarem ali”, garante o professor.

Além disso, as crianças participam de praticamente todo o processo de composição da apresentação, com ideias e sugestões organizadas de forma coletiva. “Os alunos têm autonomia, inclusive, para dizer quando não concordam com alguma decisão tomada em equipe, expressando as suas ideias e percepções sobre a peça musical que está sendo criada”, conta Maurício.

Música  e educação

Muitas pessoas acreditam que as aulas de Música na escola são destinadas exclusivamente ao aprendizado de instrumentos ou, ao menos, uma porta de entrada para que as crianças demonstrem interesse para ingressar em uma escola de música. 

No entanto, a musicalização é uma ferramenta capaz de desenvolver muitas outras habilidades, em especial nas crianças. Aqui no Oswald, por exemplo, elas aprendem em um processo de contextualização do ensino.

“Nossas aulas de Música buscam, sempre que possível, vincular-se ao restante do projeto pedagógico do Oswald e essa é uma premissa aqui do colégio, já que na maior parte das vezes as atividades das demais disciplinas estão interligadas ao contexto musical”, explica Maurício, que trabalha com os alunos, em paralelo, temas como ritmos brasileiros e culturas musicais de outros países.

Outro exemplo é quando os alunos aprendem sobre as culturas indígenas e afro-brasileiras, também trabalhando, nas aulas de Música, com canções e ritmos relacionados a essas áreas. Isso faz com que todo o processo seja interligado e faça muito mais sentido dentro de todo nosso projeto pedagógico. 

Outra questão relevante diz respeito ao acesso a um repertório diverso, o que é fundamental para que os alunos possam desenvolver a capacidade criativa, explorar os instrumentos, criar de forma coletiva e, principalmente, apropriar-se de uma cultura musical que já existe – ou ainda, para que possam criar a partir dessas referências. “Só uma dessas coisas não promove o protagonismo dos alunos. Sem a apropriação ele não vai ter repertório para criar coisas novas. Por isso é tão importante intercalar as duas situações, alcançando sempre melhores resultados”.

Mauricio destaca ainda alguns benefícios da música para seus alunos. “O maior desafio é eles tocarem juntos. E para tocar é preciso ouvir, não só o som ao redor, mas também o silêncio, valorizar as pausas, esperar a nossa vez, respeitar a vez do outro. E esse trabalho em equipe demonstra a forma como a música trabalha a socialização das crianças para a organização dos sons e para saberem a hora de colocar seu instrumento no conjunto. Conseguir coordenar e trabalhar essa dinâmica do respeito e da escuta é realmente muito gratificante”, conclui.   

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.