“Com quantos gigabytes se faz uma jangada, um barco que veleje?”

“Com quantos gigabytes se faz uma jangada, um barco que veleje?”

Colégio Oswald de Andrade

03 de fevereiro de 2022 | 15h12

Os desafios e criações do Projeto Girassol, curso de educação de jovens e adultos do colégio Oswald de Andrade, durante 2021.

Por Malu Rangel (com a colaboração de Anapaula Iaccovino Dávila, Carolina Stanisci, Catarina Ortiz Dal Mas, Francine Conrad Fonzaghi, Marcelo Dal Mas)

 

Ao longo de 2021, o Projeto Girassol, curso livre de educação de jovens e adultos, braço do Centro Oswald de Formações, resistiu. Mais do que resistiu: existiu. E, como tantas e tantos de nós, nasceu de novo.

Há catorze anos, o Projeto vem povoando mentes e corações. As noites de aulas, que até o início de 2020 ocorriam presencialmente na Unidade Girassol do colégio Oswald de Andrade, eram, em verdade, encontros. Os conteúdos trazidos por professoras e professores voluntários sempre caminharam de mãos dadas com os saberes dos estudantes. Traçamos letras cursivas, ficamos em silêncio buscando livros e infâncias pelas estantes da biblioteca; aprendemos a costurar, sentimos medo com as histórias de assombração dos sertões. Comemos o mesmo pão, assado de tarde e levado, de surpresa, para adoçar o final do dia. E, com tantas histórias, juntos escrevemos e ilustramos um livro. 

Como, era a dúvida, transportar o universo da presença, a importância do chão da escola, para os encontros virtuais? Transpor inúmeras barreiras (todas elas condensadas na necessidade de sobrevivência) para estarmos reunidos? Tentamos o grupo de WhatsApp. Aulas-pílulas, três minutos, com questões instigantes, nas quais alunas e alunos pudessem pensar e entregar suas reflexões (em textos, áudios, desenhos) no próprio grupo. Dúvidas, receios, resistências. 

Aprendemos a habitar outros lugares. A enxergar as alunas e os alunos de maneiras distintas, a nos expor, também, nos poucos instantes em que tínhamos para estarmos reunidos. Foram pílulas de felicidade: nos momentos sombrios, éramos os mesmos barquinhos da foto que abre este texto, confeccionados pelas alunas e inspirados nas viagens de Mário de Andrade. Coloridos, diferentes, talvez um pouco amedrontados e certamente cansados, levando nossos minutos de aulas como bandeiras, rumo à ilha de afetos que já conhecíamos tão bem.

Chegamos.   

Compartilho, a seguir, as emocionantes experiências e percursos daquelas e daqueles que fizeram, lado a lado com o grupo de alunas e alunos, o Projeto Girassol (e nossas vidas) girar em 2021. 

“Poucas experiências têm sido tão gratificantes quanto as vividas no Projeto Girassol! Em nenhum outro lugar é possível perceber como a ciência econômica cumpre seu papel social de realmente pensar a partir do dilema entre os recursos escassos e as muitas necessidades, e sobre como esses recursos podem ser melhor aproveitados satisfazendo necessidades, ainda que parcialmente. Em nenhuma outra experiência por mim vivida, o desejo de aprender é tão verdadeiro e a percepção da importância do aprender é tão legítima. Em nenhum outro momento, experimentei o sentido mais puro do pensar no outro, uma vez que as dúvidas, as curiosidades, os problemas referem-se quase sempre aos enfrentamentos das pessoas afetivamente ligadas aos nossos alunos, como filhos, maridos, parentes, amigos. Dar aulas de Economia no Projeto Girassol tem sido a experiência mais agregadora no sentido de entender sobre o sentido de ser humano.”
Anapaula Iaccovino Dávila
Economista e professora universitária, professora de Economia no Projeto Girassol

“As aulas conduziram os alunos por um percurso entre a África e o Brasil, com o objetivo de desvendar a ancestralidade e a cidadania dos brasileiros negros ao longo dos séculos – da negação de direitos até a sua conquista consagrada pela Constituição e outras leis. Os alunos escreveram sobre os conteúdos dados e tracei um diagnóstico de como assimilaram os conceitos. Percebi uma apropriação da temática antirracista. Também fiz retomadas gramaticais, a partir dos erros de grafia, por exemplo. Ao final do semestre, debatemos casos de discriminação e ações afirmativas recentes, para que os relacionassem com o que haviam aprendido.”
Carolina Stanisci
Jornalista e professora de Redação, Cidadania e Direitos Humanos no Projeto Girassol

“O Projeto Girassol é sinônimo de troca, aprendizado e desafio. Estou desde 2019 no Projeto e 2021, com certeza, foi o ano que mais exigiu adaptações por parte dos educadores e dos estudantes. Eu e a turma nos mantivemos dedicados e nosso vínculo carinhoso é sempre uma motivação para nossas aulas e conversas. 

Comecei no Projeto como assistente da aula de Filosofia, mas a turma demonstrava muito interesse por Psicologia e queriam que eu desse tais aulas. Como negar? Cá estamos nós, explorando nossas emoções, sentimentos, memórias, o processo de luto, a ansiedade e tudo que os estudantes querem descobrir e entender melhor. Em nossas aulas, explorei dinâmicas variadas: texto para que eles treinem a leitura e interpretação, atividades lúdicas nas quais produziram desenhos, escrita e até jogos educativos online. Esses estudos estimularam os estudantes a olharem para si mesmos e desenvolverem uma habilidade muito importante: um olhar reflexivo. Eles se mostram mais questionadores e curiosos a cada dia!”
Catarina Ortiz Dal Mas
Psicóloga em formação, professora de Ensino Fundamental 2 e professora de Psicologia do Projeto Girassol

“Nas aulas, trago atividades práticas e divertidas com desafios da Matemática. A partir das receitas de família e listas de compras das alunas e dos alunos, propusemos atividades em que puderam colocar em prática seus saberes e também conhecer novas estratégias para realizar operações matemáticas.”
Francine Conrad Fonzaghi
Pedagoga, professora da Educação Infantil no Colégio Oswald de Andrade e professora de Matemática no Projeto Girassol

“O Projeto Girassol é conexão. É a conexão com pessoas que foram afastadas do processo de alfabetização e que vivem num contexto de constante desvalorização na sociedade. O Girassol conecta com essas pessoas de uma maneira muito especial, possibilitando uma reconexão de estudantes com suas histórias, legados e sonhos. É uma oportunidade para reescreverem suas vidas, de histórias faladas para histórias escritas, agora com folhas pautadas e lápis. Durante a pandemia, adaptamos a sala de aula para o online. Ficamos limitados em alguns aspectos, mas ampliamos em outros. E, manter essa conexão única com as histórias de vida deles, foi essencial. Na aula de Filosofia, fortalecemos essa reescrita de histórias e por vezes, reorganização e reconstrução de significados na própria vida. Na trilha da Filosofia, tem o relembrar, refletir, questionar, compartilhar e encontrar o sentido em suas jornadas. Quando estudamos um pensamento filosófico, mais do que o pensamento em si, encontramos conexões marcantes entre as vidas do(a) pensador(a) e estudantes. Invariavelmente, redescobrimos juntos a felicidade, tão real e acessível, no mais elevado sentido filosófico.”
Marcelo Dal Mas
Empreendedor social, mestre em Administração e Ética nos Negócios e professor de Filosofia no Projeto Girassol

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.