Rotina de estudos: entenda a importância dessa prática para o desenvolvimento dos estudantes

Rotina de estudos: entenda a importância dessa prática para o desenvolvimento dos estudantes

Ter uma rotina diária de estudos é uma forma autônoma para o estudante se desenvolver e ampliar seus conhecimentos.

Ofélia Fonseca

12 de abril de 2019 | 16h43

Família deve estar alinhada e ajudar a organizar a rotina de estudos (Foto: Divulgação/Ofélia)

Para que os estudantes alcancem bons resultados em seu processo educacional, é fundamental que eles organizem uma rotina de estudos também fora da sala de aula.

As tarefas da casa, de um modo geral, pretendem dar continuidade às atividades escolares, para que elas não se percam no processo educacional e estejam alinhados com a proposta do colégio.

Nesse sentido, ao estudar em casa, o estudante melhora a aderência aos conteúdos, treina sua concentração e pode aprofundar seus interesses em determinados assuntos, caso a atividade assim o permita.

Além disso, ele também está treinando para as atividades avaliativas, uma vez que desenvolve a autonomia nas tomadas de decisão para a realização das tarefas, que, em última instância, visam incutir uma cultura do estudo para além da escola, o que é fundamental para a responsabilização por seu processo de formação.

 

Mas, como melhorar a rotina de estudos?

Estudantes durante atividade extraclasse (Foto: Divulgação/Ofélia)

Cada disciplina e professor tem a especificidade dos modos como seus conteúdos devem ser trabalhados, tendo a liberdade também de oferecer diferentes dinâmicas para a tarefa de casa, que pode ser a realização de exercícios e a leitura de capítulos, ou ainda, assistir a filmes ou seriados, fazer pesquisas e entrevistas.

A pertinência dessas atividades não diz respeito apenas às suas áreas, mas a qual competência o professor quer desenvolver que seja fundamental para a continuidade de seu curso.

É importante que cada uma dessas atividades seja orientada pelos professores, que devem ressaltar as particularidades e as etapas de sua realização.

Feito isso, o estímulo reside em dar a devida importância e continuidade àquilo que foi proposto para ser trabalhado em casa, para que ocorra uma consequência em sala de aula e não fique apenas como uma carga extra de trabalho.

Sendo assim, a rotina de estudos é a melhor forma de acompanhar o ritmo das aulas, não precisando postergar atividades ou mesmo sobrecarregar-se nas vésperas das avaliações.

Vale ressaltar ainda que a família tem papel fundamental no acompanhamento da formação do aluno fora da escola, não apenas difundindo os valores morais que serão experimentados na escola, mas oferecendo exemplos de vida.

Famílias que não têm o costume de ler, escrever, assistir filmes juntos, realizar conversas construtivas sobre valores, comportamento e acontecimentos no cotidiano, dificilmente conseguem desenvolver, sem muito esforço, esses costumes nos seus filhos.

Com isso, fica clara a importância de que as famílias participem, ao menos, da regulação dos horários de estudo, numa compreensão das dificuldades que o ambiente ou as atividades familiares podem acarretar na vida escolar de seu filho.

“A cada encontro que podemos ter com as famílias, explicamos a importância da convivência que elas estabelecem com seus estudantes, para o fortalecimento da cultura de estudos, desde a ajuda na regulação da rotina, horários, ambiente, até na ajuda direta com as tarefas, tudo é uma questão de ajudar o estudante a encontrar o tempo e o espaço para a realização, com calma, dessas tarefas”, comentam os orientadores Guilherme Oliveira e Wylma Ferraz.

 

Rotina para potencializar os estudos

Rotina de estudos é fundamental para organização dos estudantes (Foto: Divulgação/Ofélia)

Assim como qualquer atleta treina para alcançar bons resultados, aquele que se vale do pensamento para desempenhar uma atividade também precisa treinar. Uma rotina ou cultura de estudos só se constitui com a repetição, com o ajuste, com o aprimoramento das habilidades que são demandas para cada tarefa.

Por isso, é possível sugerir que se comece com pequenos turnos diários e regulares de estudo e, conforme for desenvolvendo o hábito, maior a destreza para trabalhar as tarefas, possibilitando que outros elementos possam ser inseridos nessa rotina, como diferentes lugares; aprofundamento de temas; e estudo em grupo, que deve ser estimulado, principalmente quando se mesclam aqueles que têm facilidade com os que têm dificuldade, a fim de compartilharem dicas e estratégias de estudo e resolução de problemas.