Ofélia inicia atividades disparadoras do Projeto 2019

Ofélia inicia atividades disparadoras do Projeto 2019

Neste ano, o Projeto será desenvolvido com base nas comemorações do Ano Internacional das Línguas Indígenas, instituído pela UNESCO.

Ofélia Fonseca

05 de abril de 2019 | 10h33

Estudantes durante visita ao Instituto Moreira Salles (Foto: Divulgação/Ofélia)

Conscientes da importância de desenvolver seus estudantes para o pensar reflexivo e para a cultura da pesquisa autônoma, o Ofélia idealizou o Projeto, que teve suas atividades disparadoras iniciadas no mês de março.

Neste ano, o Projeto tem seu tema definido de acordo com questões relevantes na sociedade, e também será desenvolvido com base nas comemorações do Ano Internacional das Línguas Indígenas, instituído pela UNESCO e escolas associadas.

Crianças observam as obras durante visita (Foto: Divulgação/Ofélia)

A temática será desenvolvida por todos os segmentos e vai abordar, na Educação Infantil: ‘Quem sou eu?’; no Ensino Fundamental I: ‘Direitos humanos para todos: povos indígenas do Brasil’; no Ensino Fundamental II: ‘Território e Identidade’; e no Ensino Médio: ‘Identidade e direitos’, além de uma temática sobre a existência e extinção dos dinossauros e seres pré-históricos, que será desenvolvida pelas crianças do G4.

Segundo o coordenador pedagógico Paulo Sergio Cândido, a escolha do tema vai ao encontro da proposta pedagógica do Ofélia, que visa contribuir para a formação de cidadãos críticos e conscientes sobre seus direitos, sua identidade e seu protagonismo para a transformação da sociedade.

Estudantes durante atividade disparadora, na sala de aula (Foto: Divulgação/Ofélia)

Dentro desse contexto, o Projeto possibilita o trabalho interdisciplinar, contribuindo para o desenvolvimento das aprendizagens de forma significativa para os estudantes do Ofélia.

“Desenvolver a autonomia de aprendizagem e responsabilidade social, despertar o senso crítico dos estudantes para problemas sociais relacionados a direitos, identidades, violência e preconceito entre outros, e por meio da sua compreensão da realidade e da importância do seu papel para transformá-la, convidá-los à interação com o grupo e à apresentação de propostas de intervenção”, explica o coordenador Paulo Sergio.

 

Atividades disparadoras do Projeto 2019

Estudantes com o professor de Arte no Instituto Moreira Salles (Foto: Divulgação/Ofélia)

Entre as atividades disparadoras do Projeto 2019, estão visitas ao Instituto Moreira Salles, exibição dos filmes: ‘Era o Hotel Cambridge’, de Eliane Caffé, e ‘Faça a coisa certa’, de Spike Lee, pontuais para promover uma reflexão, socialização e elaboração do índice temático do projeto.

Iniciadas em março, as atividades disparadoras seguem durante o mês de abril, e estão sendo realizadas intergrupos, de modo que os estudantes trabalhem de forma coletiva e colaborativa durante todo o projeto, até a sua culminância em nossa Mostra Cultural, que acontece no final de outubro.

 

Ano Internacional das Línguas Indígenas

Obra do Instituto Moreira Salles (Foto: Divulgação/Ofélia)

Segundo a UNESCO, atualmente, existem de 6 a 7 mil línguas no mundo, sendo que cerca de 97% da população mundial fala somente 4% destas línguas, e somente 3% falam 96% de todas as demais línguas existentes.

A grande maioria dessas línguas, faladas sobretudo por povos indígenas, continuarão a desaparecer em um ritmo alarmante. Nesse contexto, o projeto procura contribuir para a conscientização da necessidade de se preservar, revitalizar e promover as línguas indígenas no mundo para que a sua história, tradições e memórias não se percam, bem como os problemas sociais enfrentados pelos grupos, seus rituais, ritos, costumes e culinária.