O papel das brincadeiras no desenvolvimento das crianças

O papel das brincadeiras no desenvolvimento das crianças

O brincar é um direito assegurado pela BNCC, documento que orienta o trabalho pedagógico da nossa equipe da Educação Infantil.

Ofélia Fonseca

25 de outubro de 2021 | 05h00

Por: Equipe docente da Educação Infantil*

A principal linguagem de expressão das crianças no mundo é por meio do brincar. Direito esse que está assegurado de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), documento que orienta o nosso trabalho pedagógico e nos apresenta seis direitos de aprendizagem e desenvolvimento para as crianças da Educação Infantil: conviver, brincar, participar, explorar, expressar, conhecer-se.

O brincar acontece de diversas formas, podendo ocorrer de maneira dirigida ou pelo jogo simbólico (faz de conta). As crianças utilizam essa linguagem para elaborar e conhecer o mundo a sua volta, se apropriando das temáticas culturais e universais que estão inseridas.

Muitas vezes, no cotidiano escolar, o brincar livre é trazido pelas crianças que, junto às demais, constroem sua cultura, sendo denominada cultura de pares.

O desenvolvimento de cada uma das crianças, as preferências e as conversas são reveladas a partir daquilo que é oferecido durante as brincadeiras. O papel do/a educador/a é manter uma observação e escuta atenta para, assim, conseguir potencializar essa linguagem, de maneira que as crianças possam experienciar sua criatividade, fantasia e imaginação, compreendendo e ampliando sua visão de mundo.

Portanto, nós do Colégio Ofélia Fonseca, vemos no brincar um leque infinito de possibilidades que favorecem a experimentação, a interação, a exploração, a criação e a expressão, entre outras possibilidades. Cabendo ao educador/a oferecer os recursos e espaços planejados para a promoção do desenvolvimento de cada uma delas.

Clique aqui para saber mais sobre a proposta pedagógica desenvolvida com os grupos da Educação Infantil

 

*Artigo assinado pelos profissionais que compõem a equipe docente da Educação Infantil do Colégio Ofélia Fonseca.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.