Mostra Cultural apresenta pesquisa do Projeto Anual

Mostra Cultural apresenta pesquisa do Projeto Anual

Identidade, direitos, territórios e povos indígenas foram alguns dos temas trabalhados pelos estudantes na produção da nossa Mostra Cultural 2019.

Ofélia Fonseca

14 de novembro de 2019 | 15h31

Colégio se transformou em um pátio cultural durante a Mostra (Foto: Divulgação)

 

Com o tema definido de acordo com questões relevantes da sociedade, e também com base nas comemorações do Ano Internacional das Línguas Indígenas, instituído pela UNESCO, nossa Mostra Cultural 2019 apresentou as tradições indígenas, por meio de sua cultura, lendas e brincadeiras. Tudo isso envolvendo muitas experiências artísticas, literárias e musicais.

Além de destacar as questões relacionadas aos povos indígenas do Brasil, a mostra abordou ainda outros temas de relevância, como identidade e território e identidade e direitos. Dentro da temática território, foram levantados também dados sobre os povos imigrantes e em situação de refúgio, e as populações caiçaras. Na perspectiva dos direitos, os estudantes se concentraram na pesquisa da diversidade e dos direitos humanos. 

Famílias prestigiaram o evento realizado no último final de semana (Foto: Divulgação)

Outro destaque da mostra envolveu a exposição de trabalhos artísticos, coordenada pelo professor de artes Leonardo Polo, que teve como tema: A Cidade é o suporte das experiências da Arte, que coloriram o colégio, e as apresentações de música feitas pelos estudantes, com o objetivo de expor os diferentes temas pesquisados ao longo do semestre. Os temas percorreram musicais do mundo, música erudita, Ijexá, capoeira, maracatu, músicas norte-americanas, samba, choro e bossa nova, além da era dos festivais e da tropicália, que foram interpretadas pelas turmas do G3 ao 9º ano, com a supervisão e orientação dos professores Gabriel Correa e Maucha Barros.

O processo de planejamento e organização da mostra reforça nossa proposta pedagógica, que tem como base contribuir para a formação autônoma de cidadãos críticos e conscientes sobre sua identidade e seu protagonismo no convívio em sociedade. E, dentro desse contexto, as pesquisas possibilitaram o trabalho interdisciplinar, contribuindo para o desenvolvimento das aprendizagens de forma significativa para nossos estudantes.

Estudantes durante as apresentações musicais (Foto: Divulgação)

As atividades foram realizadas pelos estudantes de forma coletiva e colaborativa, durante todo processo de produção dos trabalhos, até sua apresentação em nossa Mostra Cultural, realizada no último sábado.

“Eu sempre gosto bastante da Mostra Cultural do Ofélia. Vejo como um diferencial da escola, que está sempre muito atual. Achei muito interessante a preocupação com a responsabilidade proposta pela UNESCO e eles trazerem isso pra mostra. A minha filha gosta muito de escrever e de fazer pesquisas, e vejo a mostra como um estímulo a mais para os alunos. Mas, mesmo sabendo de tudo isso, quando a gente chega aqui, vê que é muito maior do que a gente consegue descrever”, conta Moema, mãe da Ynaê, estudante do 5º ano Ensino Fundamental I.

Tereza e Ricardo, pais da estudante Julia, do 7º ano Ensino Fundamental II, fazem questão de acompanhar de perto o desenvolvimento da filha e destacam a importância do projeto pedagógico do colégio. “Vemos muito valor nas propostas, como a realização de pesquisas de campo, pois acreditamos que elas são importantes para desenvolver a autonomia dos alunos e criar um processo de conscientização, favorecendo o aprendizado”, explicam.

Nossa mostra teve espaço para cultura, arte, literatura e música (Foto: Divulgação)

 
Já Maria Cristina, mãe da estudante Daniela, do 3º ano do Ensino Fundamental I, destaca a importância de prestigiar os trabalhos dos estudantes. “É bacana participar das atividades, como a mostra, porque a gente vê a culminância de um processo que ouvimos falar durante o ano todo e que as crianças levam pra casa. É bacana acompanhar o desenvolvimento delas”, ressalta.   

Agradecemos nossa equipe pedagógica pelo empenho de todos na realização de mais um evento importante, e também pelo comprometimento dos estudantes e das famílias, que sempre fazem questão de prestigiar nossos projetos. 

 

Ano Internacional das Línguas Indígenas

Segundo a UNESCO, atualmente, existem de 6 a 7 mil línguas no mundo. A grande maioria dessas línguas, faladas sobretudo por povos indígenas, irão desaparecer em um ritmo alarmante. Desse contexto surgiu a proposta de conscientizar as pessoas da necessidade de preservar, revitalizar e promover as línguas indígenas no mundo, para que a sua história, tradições e memórias não se percam, bem como os problemas sociais enfrentados pelos grupos, seus rituais, ritos, costumes e culinária.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: