Live do Ensino Médio destaca trajetória educacional, desafios e conquistas dos estudantes

Live do Ensino Médio destaca trajetória educacional, desafios e conquistas dos estudantes

Durante a atividade, realizada na última semana, estudantes do Ensino Médio falaram sobre suas rotinas de estudo. 

Ofélia Fonseca

08 de junho de 2020 | 14h41

 

Para celebrar os 99 anos do Ofélia, realizamos uma Live com os estudantes do Ensino Médio. Transmitida na sexta-feira, dia 5 de junho, no Instagram do colégio, a Live reuniu seis estudantes, que conversaram com o coordenador Luis Fernando Massagardi.

Na ocasião, eles tiveram a oportunidade de falar sobre sua trajetória educacional, além de destacar os desafios e as principais conquistas  do Ensino Médio no Ofélia. Durante o bate-papo, também foram abordados temas como o ensino remoto, o estímulo ao protagonismo e a preparação para o vestibular e o TCC, entre outros assuntos.

A primeira convidada, Fernanda Azeredo, do 1º ano, abriu a conversa falando ter superado os desafios das aulas online. “No começo foi mais difícil porque, para as aulas em casa, é preciso ter organização e autodisciplina e acho que estou exigindo mais de mim. Mas, estamos seguindo bem o ritmo.” 

Fernanda contou ainda: “os temas propostos nas aulas estão sendo muito interessantes e também estou conseguindo me organizar bem com os prazos e entregas dos trabalhos”. 

O segundo participante, Ricardo Pacheco, 3º ano, começou falando de sua trajetória no Ofélia. “Estou no colégio desde criança e boa parte de quem eu sou e como eu cresci se deve ao Ofélia.” 

Ricardo também falou das muitas lembranças vivenciadas durante todo seu percurso, destacando as mostras culturais das quais participou, além das visitas ao zoológico e das atividades de estudo do meio, entre outras. 

“Gosto muito de discutir sobre temas da atualidade e o colégio promove muitas discussões sobre diversos temas. E isso desde a infância, o que eu considero que tenha sido uma das coisas mais importantes na minha formação”, completou Ricardo. 

Ele fez questão de falar também sobre as disciplinas eletivas. “Tive a oportunidade de participar de todas as eletivas propostas pelo colégio e o meu Trabalho de Conclusão de Curso, inclusive, surgiu de uma disciplina eletiva.”

A terceira participante do bate-papo, Melissa Rosa, 3º ano, contou que começou a se interessar pelos estudos no sétimo ano. “A partir daí não parei mais de me dedicar ao aprendizado e, para mim, um diferencial é contar com a orientação dos professores, que nos ajudam a trilhar nossos caminhos de acordo com os objetivos que queremos alcançar. Por isso, o Ofélia foi muito importante por estimular a pesquisa e oferecer orientação aos estudantes”, contou ela, que pretende seguir seus passos na área do ensino, atuando com educação inclusiva.

O quarto participante, Gustavo Aloe, 3º ano, também está no colégio desde a infância. “Estou no Ofélia desde o 4° ano. São muitas lembranças das saídas pedagógicas e estudos do meio. Tudo isso me proporcionou experiências muito ricas e oportunidades incríveis, que vou levar por toda minha vida.” 

A quinta participação foi da estudante Ana Clara Oliveira, do 1º ano. Para ela: “o ensino do Ofélia é forte, porém, diferente, porque visa o aprendizado pela discussão que gera conhecimento. Vejo um ensino significativo que é o que realmente gera o conhecimento e isso fez toda a diferença em meu desenvolvimento tanto para o aprendizado quanto para a vida mesmo”, explicou Ana. 

Segundo Fernando Cuarteiro, pai de Ana Clara, em depoimento publicado como comentário na Live, a filha virou outra pessoa depois do Ofélia. “Hoje ela é muito mais segura, comunicativa e também está com um vocabulário bem mais bonito”, contou. 

Elie Bork, do 2º ano, foi o sexto participante. “Acho incrível a abertura que o Ofélia dá para a participação dos estudantes em tudo. Exemplo disso é a Rádio, que foi uma experiência muito bacana e uniu muito todo mundo. Nunca pensei que fosse dizer isso, mas, sinto falta de de ir para a escola”, completou.

O coordenador Luis Fernando, finalizou a Live falando da importância da participação de todos para o sucesso do Ofélia. “Nosso trabalho só é possível porque a escola é um conjunto, uma comunidade, e envolve toda a equipe técnica que mantém o funcionamento, os professores, os coordenadores, o pessoal do administrativo, os estudantes e as famílias. Pessoas com funções diferentes que tornam esse trabalho possível. Seguimos nossas atividades por meio das plataformas digitais, com os cuidados específicos para atender cada faixa etária e sempre com respeito às diversidades”, concluiu o coordenador.

Nossa proposta pedagógica é pautada pela formação crítica, fundamentada na pesquisa, na produção coletiva e com um olhar próximo para cada estudante. E seguimos aplicando isso, inclusive, em nossas aulas online, de forma organizada e coerente com as ideias de nossa proposta.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.