Identidade e território: Estudantes realizam atividade de estudo do meio em Paraty

Identidade e território: Estudantes realizam atividade de estudo do meio em Paraty

Grupos do 6º e 7º ano do Ensino Fundamental II, puderam aprofundar as pesquisas de Identidade e Território em uma atividade de estudo do meio no litoral do Rio de Janeiro.

Ofélia Fonseca

14 de junho de 2019 | 10h49

Estudantes durante atividade em Paraty (Foto: Divulgação/Ofélia)

Um método de ensino interdisciplinar que tem como objetivo proporcionar a estudantes e docentes o contato direto com temas que são objetos de estudo dentro do projeto pedagógico, o estudo do meio garante um momento coletivo de aprendizagem.

A partir do tema: Identidade e Território, os grupos do 6º e 7º ano do Ensino Fundamental II, puderam aprofundar as pesquisas em uma atividade de estudo do meio na cidade de Paraty, no litoral do Rio de Janeiro.

Grupo acompanhou o modo de vida tradicional guarani na Aldeia Boa Vista (Foto: Divulgação/Ofélia)

Durante a atividade, coordenada pelos professores Luis Massagardi (História) e Henrique Kurosaki (Ciências), os estudantes tiveram a oportunidade de conhecer algumas das comunidades tradicionais que vivem na região, acompanhando o modo de vida tradicional guarani na Aldeia Boa Vista – Tekoa Jæxaporã -, a cultura na casa de reza, realizando oficinas e assistindo a uma apresentação do coral da aldeia.

“Essas trocas nos permitiram notas a construção de uma identidade coletiva permeada pelas lutas pelo reconhecimento do território; pela reafirmação dos costumes, adaptados aos tempos atuais; e pela manutenção e dos conhecimentos sobre o meio natural”, explica Massagardi.

Experiência junto às comunidades locais (Foto: Divulgação/Ofélia)

Os estudantes também puderam conhecer a comunidade caiçara do Saco do Mamanguá, localizada em uma área de difícil acesso. Para chegar ao local, foi preciso realizar uma travessia de barco e uma caminhada pela Mata Atlântica, preservada e recuperada por uma família local, que vive há dez gerações na região.

Esta mesma família, recebeu o grupo e contou alguns detalhes sobre o cotidiano na comunidade, sobre a culinária local, além de relembrar suas lutas e sua história. “Fomos guiados de canoa pelo mangue, participamos de uma oficina de artesanato e de pesca”, completa o professor de História.  

Atividade envolveu visita ao centro histórico de Paraty (Foto: Divulgação/Ofélia)

A experiência envolveu ainda uma visita ao centro histórico de Paraty. A partir do patrimônio preservado, foi possível refletir com mais profundidade sobre a história do Brasil colonial, sobre a arquitetura local, sobre a ocupação dos espaços e a sobre a importância do turismo para a cidade.

“Com essa experiência abrimos um caminho para a possibilidade de uma reflexão sobre nosso tema de projeto, que será retomada nas atividades da escola entendendo que a compreensão das diferenças carrega a potência de uma aprendizagem significativa e reflexiva”, conclui Henrique.

 

Estudo do meio

Eles tiveram a oportunidade de conhecer a rotina das comunidades locais (Foto: Divulgação/Ofélia)

Por reconhecer as atividades de estudo do meio como essenciais na promoção do desenvolvimento de nosso projeto pedagógico, organizamos uma agenda de atividades que envolve tanto os estudantes quanto nossa equipe docente, promovendo uma maior percepção do objeto de estudo em sala de aula em outros contextos.

Isso porque entendemos que o estudo do meio envolve atividades que devem ser realizadas em três tempos: antes, entendendo o objeto do estudo e planejando o que precisa ser explorado, de forma mais eficiente e precisa; durante, quando os estudantes têm contato direto com o objeto de estudo; e depois, quando eles analisam e compartilham as informações coletadas em suas pesquisas.

Tudo isso, para proporcionar aos estudantes o conhecimento ampliado de assuntos variados, além de desenvolver suas habilidades coletivas na busca pelo conhecimento.

Clique aqui para conferir a galeria de fotos da atividade!

 

 

Tendências: