Filosofia na infância: diálogo e autonomia no pensar

Filosofia na infância: diálogo e autonomia no pensar

Saiba como essa disciplina além de promover uma educação para o pensar, investiga questões fundamentais da vida humana. 

Ofélia Fonseca

29 de novembro de 2019 | 09h48

A turma do 1° ano, durante o primeiro encontro com o professor de filosofia (Foto: Divulgação/Ofélia)

 

Estimular a criatividade, a imaginação e o diálogo investigativo, são algumas das premissas das aulas de filosofia no Ensino Fundamental. E foi com base nelas que o professor Guilherme Gomes apresentou a disciplina para as crianças do 1° ano. 

Isso porque, a partir do 2º ano do Ensino Fundamental, nossos estudantes têm a disciplina de filosofia como componente curricular. E essa é uma das formas de promover uma educação reflexiva, com ênfase no desenvolvimento das habilidades cognitivas. 

“A filosofia é uma disciplina que trata das coisas da vida. A filosofia investiga de forma organizada e profunda uma série de questões inerentes à vida humana: o que é o bem, o mal, o justo, o belo, a vida, a morte, entre outras questões”, explica Guilherme.

 

Os diferenciais da filosofia na infância 

Todos participaram e gostaram das atividades propostas pelo professor (Foto: Divulgação/Ofélia)

Durante a atividade, realizada nesta semana, as crianças tiveram o primeiro contato ‘oficial’ com a disciplina, de uma forma divertida. “Essa já é a minha aula preferida”, disse a estudante Violeta, em meio a uma das discussões levantadas pelo professor. 

Segundo Fernanda Meijon, professora do 1º ano, as crianças estavam ansiosas para conhecerem mais da disciplina e conversarem com Guilherme.   

Na ocasião, Guilherme e Fernanda investigaram, junto com os estudantes, as possíveis definições de filosofia. Além disso, Guilherme provocou interações, que envolveram o reconhecimento do grupo, bem como sua integração com a proposta da disciplina. 

Desta forma, as crianças tiveram a oportunidade de argumentar livremente, esclarecendo dúvidas sobre a disciplina e exercitando sua criatividade. 

“Além de refletir sobre questões fundamentais da vida, as aulas de filosofia promovem um cuidado com o pensar, buscando não apenas as ‘soluções’ das questões, mas também entender como se chega a tais conclusões e avaliar, coletivamente, se essas conclusões podem ou não ser aceitas”, diz o professor.

 

O estudo da filosofia 

Durante o encontro, as crianças puderam interagir sobre a nova disciplina (Foto: Divulgação/Ofélia)

Como vimos acima, além de desenvolver uma educação para o pensar, a filosofia cultiva a capacidade dos estudantes enfrentarem questões da existência humana. “Não somos educados a pensar sobre as questões fundamentais da existência humana. O espaço da aula de filosofia permite que os estudantes reflitam, de forma organizada, sobre tais questões e isso gera um ganho tanto intelectual como pessoal”, explica o professor.

 

 

Tendências: