E a Reflexão continua: respeito à diversidade

E a Reflexão continua: respeito à diversidade

O exercício da cidadania no cotidiano escolar

Ofélia Fonseca

17 de março de 2015 | 09h12

Contribuir para o processo de um jovem estudante tornar-se cidadão, um ser humano questionador e participativo na comunidade em que está inserido, é um desafio que começa em casa, mas que não pode parar por aí. A escola vem assumindo cada vez mais o compromisso de responsabilizar-se não apenas pelo ensino dos conteúdos, mas também por contribuir com a formação ética e política do adolescente, para que ele tenha condições de se tornar um adulto responsável e ativo dentro (e fora…) da sua comunidade.

Pensar sobre questões relativas à diversidade (ou às várias diversidades) é, nesse sentido, um tema fundamental para o exercício da cidadania.  Mesmo sendo praxe a ideia cristã de que se deve “respeitar ao próximo como a si mesmo”, o cotidiano escolar nos mostra que esse respeito, muitas vezes, mostra-se mais evidente na teoria do que na prática. O bulling, por exemplo, aflição de tantos pais e professores, geralmente é direcionado àqueles que, de alguma maneira, fogem do padrão.

Assim, é fundamental que os jovens entendam desde cedo que faz parte do processo de aprender a ser cidadão, aprender também a respeitar as diferenças, sejam elas étnicas, sociais, culturais, religiosas, de gênero ou orientação sexual. Mesmo a reflexão sobre a biodiversidade é essencial para que nos responsabilizemos perante as outras espécies que coexistem conosco em nosso planeta.

IMG_1459

IMG_1461

Diversas atividades podem colocar os estudantes em contato com esse outro, tão enigmático porque diferente… Uma sequência didática ou um projeto pedagógico que os faça refletir sobre esse tema geralmente traz bons resultados e nada melhor do que disparar o tema para os alunos de forma lúdica e interativa. Uma ida ao cinema, por exemplo, para assistirmos coletivamente a um filme que sensibilize os jovens é um bom ponto de partida… Trazemos, por hora, duas sugestões que os alunos do Ensino Médio assistiram: o longa-metragem “Faça a coisa certa”, do diretor estadunidense Spike Lee, do qual podemos extrair uma boa discussão a respeito da diversidade étnica e o curta-metragem “Como os lobos mudaram os rios”, para tratar do tema da biodiversidade.

Cristiane Bastos Ferreira
Professora de Língua Portuguesa

cris3

Cena do filme Faça a coisa certa (Do the right thing), de Spike Lee, 1989.

Tudo o que sabemos sobre:

biodiversidadediversidadefilmepreconceito

Tendências:

  • Fuvest 2020: Veja os locais de prova da primeira fase do vestibular
  • Redações da Fuvest: Estadão Acervo levantou o temas de cada redação do exame desde 1977
  • Medicina na USP tem disputa de 129 candidatos por vaga; veja relação
  • Conheça práticas ilegais comuns na matrícula e nas mensalidades de escolas e faculdades
  • Primeira fase da Fuvest: ouça as dicas dos especialistas no podcast ‘Se Liga no Vestibular