Atividades extracurriculares desenvolve a autonomia

Thais Gonzales

31 Março 2017 | 10h53

Além de desenvolver a autonomia e dar senso de responsabilidade nas crianças, as atividades extracurriculares trazem reflexo positivo em sala de aula. Muitas vezes, os alunos melhoram o rendimento escolar após iniciar uma oficina ou esporte, por exemplo.

A criança também aprende a organizar e a gerenciar o seu tempo, desenvolvem a autonomia, a desenvoltura social e, para muitas, são momentos de elevar a autoconfiança e a autoestima.

 

Realizadas fora do horário de aula, as crianças vivenciam outras experiências. Ballet, judô, natação, futebol, música e tantas outras podem estar na lista de interesses do seu filho e/ou filha.

São tantas as opções, qual escolher? É fundamental ficar atento ao interesse da criança. Se ela tiver prazer na atividade extra, vai se comprometer e todos os benefícios virão à tona.

Lembre-se: tempo livre é tão importante quanto. Equilibre os dias com as atividades extracurriculares, mas não ocupe 100% dos dias do seu filho.

Algumas ideias:

Natação

Ajuda muito a desenvolver a coordenação motora, a socialização, capacidade respiratória e segurança dentro da água.

Foco no fortalecimento

Entre os três e seis anos, pode começar balé, judô, futebol, ginástica artística ou olímpica, por exemplo. Esses esportes exigem flexibilidade e também estimulam o trabalho em equipe, especialmente.

Música

A música vai muito além de tocar um instrumento. A criança aprende a se concentrar, a interagir com a música, com o professor e os amigos.