“Volta às aulas pressupõe aspectos organizacionais e atitudinais”

“Volta às aulas pressupõe aspectos organizacionais e atitudinais”

Paulo Adolfo

24 Janeiro 2017 | 14h10

foto patio central_pag10_

Por Marisa Ester Rosseto, Diretora Educacional do

Colégio Marista Arquidiocesano

 

Quando tratamos do tema “volta às aulas”, podemos refletir a partir de dois aspectos: o organizacional e o atitudinal.

Quando os alunos da Educação Básica voltam à escola, a família volta junto. É importante que os alunos entendam que eles passaram um tempo de férias e esse período de “ócio” é muito importante e necessário para eles. As crianças, os adolescentes e jovens saem de seus ritmos e rotinas. Costumam dormir e acordar mais tarde, comer fora de horários rotineiros e até mesmo mais “bobagens”, por terem mais tempo livre. Acordar e poder ficar mais tempo na cama, em casa de pijama, é uma delícia!

Passado este período tão sonhado de férias é necessário que entendam que é hora de voltar e “engrenar” no ritmo da escola e demais atividades como esportes, curso de línguas, etc.

Para que tudo ocorra de uma maneira tranquila, é necessário fazer um planejamento anterior para essa volta. Organizar a rotina passa por rearranjar horário, organizar o material escolar, o uniforme e, se possível, sempre contando com a participação da criança e/ou do jovem, fazendo então, uma construção coletiva para o retorno escolar. O envolvimento com antecedência dos estudantes nesse processo de volta diminui a ansiedade.  As crianças, via de regra, já vem com uma ansiedade muito grande por conta do encontro com os colegas, até porque, hoje, e cada vez mais, as crianças participam de menos grupos de convivência com pares iguais, da mesma idade. Então, a escola acaba sendo um espaço de intenso convívio social, exercício de cidadania, possibilidades outras de desenvolvimento de resiliência e construção de identidade e autonomia.

Para facilitar a vida dos responsáveis, eis algumas dicas de planejamento na prática, afinal a rotina é feita de ações, de atitudes. Na semana anterior à volta às aulas, é recomendável que a família monitore o horário de dormir, a alimentação para que o aluno não volte muito cansado e não fique estressado por ter que voltar.  A alimentação é um capítulo à parte. Faz tempo que na escola procuramos oferecer alimentos saudáveis, não vendemos frituras, refrigerantes e balas/doces. Há também indicação para as mães, principalmente da Educação Infantil, do que pode/deve ou não pode/deve fazer parte da lancheira. É claro que, as permissões ou restrições, nesta questão alimentar, também acontecem de acordo com o modo de vida de cada família. Temos crianças bem pequenas que trazem de lanche pepino e cenoura e outras bolachas recheadas, mas o nosso papel é o de auxiliar as crianças e as famílias para que organizem a lancheira buscando alimentos mais saudáveis sempre. Alimentação esbarra com a questão cultural. Temos na escola famílias com diversas costumes, crenças, mas isso é bacana, pois aprendemos com as diferenças.

No contexto em que vivemos em São Paulo, por exemplo, também temos que fazer o planejamento do horário, do trajeto, se houve mudança de escola, devemos saber quanto tempo temos que sair antes de casa para evitar atrasos. Para quem usa metrô temos um outro movimento. É importante que isso aconteça antes do início das aulas, inclusive para prever alguns problemas comuns de cidade grande, como a nossa.

E, para finalizar, o início do ano letivo tem que ser marcado pela organização, pontualidade, assiduidade, cumprimento das regras, uso do uniforme. Outro aspecto muito importante para ajudar na adaptação e vida escolar dos estudantes é a construção da confiança dos pais na instituição de ensino escolhida. Muita atenção com alguns comentários na frente das crianças. Caso tenha alguma observação, procure a professora ou coordenação para conversar. A escola e a família devem dialogar em seus valores e princípios!

Bom retorno a todos nós!