Uma horta na escola . . . Ah, quantas coisas legais podemos fazer!

Uma horta na escola . . . Ah, quantas coisas legais podemos fazer!

Paulo Adolfo

09 Março 2018 | 16h28

Os alunos dos 4ºs anos estão estudando a importância da água na sobrevivência dos organismos. Dentre os organismos escolhidos para estudo, optamos pelos vegetais. Afinal, quem nunca viu uma plantinha tendo o seu desenvolvimento comprometido pela falta de água e/ou umidade?

Assim os estudantes, com a ajuda do funcionário Cido, encarregado da horta, optaram pelo plantio da alface. A horta foi dividida em partes e cada sala plantou algumas mudas de alface para acompanhar o desenvolvimento desse vegetal. E não parou por aí. As professoras explicaram que a água é importante, mas não em excesso! Logo, fazendo uso de garrafas pets e sob a orientação da técnica de laboratório Rafaela e das professoras, os alunos estudaram uma disposição de extratos no solo que pudessem servir como um sistema de drenagem, caso a água de rega fosse depositada em excesso. Na garrafa, colocaram cascalho, areia, solo enriquecido com nosso Adubarqui e, sobre as sementes, colocaram algumas folhas para que simulassem a serapilheira que, ao se decompor, enriquece o solo em ambiente natural.

Após este experimento nas garrafas, entenderam como o Cido prepara a terra da horta, e restava agora acompanhar o desenvolvimento das plantas. Desta forma, os estudantes se revezaram em grupos e, munidos de régua, caderno de campo e lápis, foram acompanhando o crescimento das mudas em altura, largura e área folhear. Depois, foi só desenhar e socializar no mural da sala fazendo uma espécie de “linha do tempo” de crescimento do alface. E agora? Hummm, agora vem a melhor parte, comê-los juntos com os funcionários do colégio. Que delícia!

Os alunos dos 3ºs anos estão aprendendo sobre a composição nutricional de diferentes alimentos, e, como é recomendado por toda avó ou mamãe, é preciso experimentar as hortaliças. Não há como negar a importância nutricional desse grupo de alimento e, nossos estudantes, foram plantá-los na horta da escola.

Excelente fonte de vitaminas e sais minerais, as hortaliças estão sempre presentes nos pratos coloridos que refletem uma dieta balanceada. Quando se estuda esse assunto e se usa uma horta para plantar o que se comerá, a proposta tem que ter uma interferência na vida do estudante. Pensando nisso, mais que estudar a pirâmide alimentar, é preciso fazer os alunos modificarem seus hábitos alimentares. Refletindo sobre esse aspecto, será que, ao fazê-los plantar o que comerão, não despertaremos vontade de experimentar novos sabores de novos alimentos?

Bom, por enquanto não sabemos, mas, assim que os vegetais crescerem, vamos comê-los e retomar o assunto para saber se houve mudança nos hábitos alimentares das nossas queridas crianças.