Os sonhos não podem ser engarrafados

Os sonhos não podem ser engarrafados

Paulo Adolfo

12 Dezembro 2018 | 16h52

Projeto Cápsula do Tempo do Arqui traz reflexões sobre projeto de vida

Faz parte do trabalho da Pastoral fomentar projetos de formação continuada, contemplando desde o 1° ano até a 3ª série do Ensino Médio.

No 9° ano, o projeto que faz essa reflexão de vida é o “Cápsula do Tempo’. Meninos e meninas são convidados a se projetarem no tempo, a pensarem nos sonhos, a refletirem sobre como vão estar daqui a 3 anos. O exercício de colocar-se no futuro é bastante difícil para muitos.

Trata-se, portanto, de uma ação realizada junto ao 9° ano na qual são construídas as cápsulas temporais com mensagens dentro delas, uma brincadeira dentro do tema “projeto de vida”.

No terceirão, é momento de abrir as cápsulas. Ele é todo pensado. A fala que dirige a ocasião é: “Ex-aluno sim, ex-Marista nunca”. São trabalhados pensamentos como “os sonhos não são mais possíveis de serem engarrafados”. Por esse motivo, há o ritual de quebrar a garrafa. Dentro dela, há referências sobre a vida, sobre o potencial da juventude.

Os Pastoralistas mostram aos alunos a importância de conhecer outros ‘mundos’ para além do colégio. Muito do que foi aprendido, muito do que foi experimentado é revelado nesse momento de quebra de garrafa. Os alunos estão dentro do colégio, dentro da garrafa, e, quando estão formados, é tempo de colocar as vivências em prática, de aplicar à vida o que foi experimentado.

Viagem ao passado

No início de dezembro, jovens da 3ª série do Médio reuniram-se para abrirem as garrafas. Brincaram com o tempo e fizeram uma viagem ao passado.

As mensagens encontradas estavam relacionadas às amizades que os Maristas gostariam de manter, as faculdades que gostariam de cursar, porém o que ficou mais evidente neste ano foram mensagens sobre um mundo melhor.

Curiosidade: os pais acompanharam todo o processo, inclusive a abertura das cápsulas. Também teve roda de discussão na qual os pais puderam falar para os filhos o quanto o momento foi importante, como foi acompanhar o processo dos filhos no colégio, o crescimento deles dentro da concepção de educação Marista.

A finalização teve o hino Brilha Champagnat e foto para eternizar a vivência.