O desafio do conhecimento

O desafio do conhecimento

Natália Venâncio

17 Julho 2015 | 11h56

A primeira Olimpíada Brasileira de Matemática, organizada pela Sociedade Brasileira de Matemática surgiu em 1979. Seguindo o exemplo dos matemáticos, surgiram muitas outras. E os alunos do Marista Arquidiocesano incorporaram muito bem as olimpíadas científicas. “Diversas atividades são realizadas para preparar os estudantes para as provas, como eventos astronômicos na Chácara do Arqui em São Bernardo do Campo (SP), além de cursos avançados preparatórios”, afirma o Professor de Física, Henrique Veiga Giannini.

A Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA) abrange assuntos relacionados ao céu e ao espaço, além do tema de astronáutica com lançamento de foguetes. Um dos objetivos da OBA é selecionar equipes para representar o Brasil na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica e na Olimpíada Latino Americana de Astronomia e Astronáutica. Na edição de 2014, 9 alunos do Colégio Marista Arquidiocesano de São Paulo foram selecionados para participar da seletiva para a formação das equipes internacionais.

A escola participa também da Olimpíada Brasileira de Física (OBF) que busca estimular o interesse pela disciplina de Física. Também ocorrem atividades paralelas com formas inusitadas de estudo – concurso de ilustrações, fotografias e desafio de Física. Em 2014, o tema das Atividades Paralelas foi “A LUZ NA VIDA E NA CIÊNCIA” e a equipe do Arqui, sob a coordenação dos Professores de Física Henrique Giannini e Fábio Pereira de Moraes, construiu um aparato experimental apresentando alguns conceitos sobre o comportamento da luz, mais especificamente uma holografia. O trabalho recebeu a medalha de ouro, figurando como campeão Nacional do Desafio de Física, pelo segundo ano consecutivo.

Ainda na esfera das ciências exatas, em Matemática, estudantes têm participado da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) por 9 anos e nos últimos 5, da Olimpíada Paulista de Matemática (OPM). “Em ambas, um grupo consistente integra a 1ª fase e sempre temos representantes nas fases finais, com medalhas e menções honrosas. Em 2015, queremos qualificar mais os resultados, avançando com maior participação e envolvimento dos estudantes”, esclarece Rita de Cassia Lasselva, coordenadora de Matemática do colégio.

Mas nem só de exatas vivem as olimpíadas. O Arqui também participa da Olimpíada de História da Unicamp, na qual alunos participam em trio. Com modalidade on-line e caráter colaborativo, a tônica das atividades refere-se à análise e interpretação de fontes históricas. “Os alunos realmente se destacam nas atividades, principalmente na parte de pesquisa de História Oral e estudo do Patrimônio. O que vale é o prazer do conhecimento e da pesquisa”, finaliza a Professora de História, Danielle Monari Takimoto Mauricio.

 

 

Educar_Medio_Arquidiocesano_Cred_Acervo_esquema da formação da holografia pelo professor Henrique - parte 2 Educar_Medio_Arquidiocesano_Cred_Acervo_holograma aparato experimental - GRANDE Educar_Medio_Arquidiocesano_Cred_Acervo_comparação da pessoa (aluna) com a sua holografia Educar_Medio_Arquidiocesano_Cred_Acervo_Alunos conversando para realizar o trabalho da holografia

 

___

Comunicação e Marketing – Colégio Marista Arquidiocesano