I Fórum com Crianças: partilhas que transformam realidades

I Fórum com Crianças: partilhas que transformam realidades

Paulo Adolfo

15 Outubro 2018 | 13h54

De 9 a 11 de outubro, foi realizado o I Fórum com Crianças da Rede Marista de Colégios. Participaram do evento 17 colégios Maristas que compartilharam experiências dos Projetos de Intervenção Social (PIS), programa com propostas de aprendizagem que potencializam vivências em grupo e, acima de tudo, que buscam transformar realidades.

Os projetos apresentados foram pautados na Agenda 2030 da ONU. A agenda norteia ações que buscam, como resultado, o desenvolvimento sustentável do planeta, erradicação da pobreza mundial e assegurar paz e a prosperidade dos povos.

Durante três dias, as escolas partilharam projetos e utilizaram a tecnologia para facilitar a interação, os próprios alunos fizeram a videoconferência e foram agentes de todas as apresentações.

Logo após o vídeo, por meio de transmissão ao vivo, alunos do Colégio Marista de Ribeirão Preto entrevistaram Pedro Cezarino Gouvêa, estudante do Arquidiocesano, escolhido para representar os Maristas na sede da ONU, em Genebra. Outro representante Marista em Genebra foi Gabriel Genivaldo dos Santos e representou uma das nossas Instituições sociais. O tema de discussão da ONU foi violência contra jovens e crianças em situação de risco.

A troca de experiências entre os alunos foi muito produtiva. Pedro foi questionado sobre sua reação ao ter sido escolhido para representar os Maristas na Suíça, sobre as diferentes realidades (Brasil x Suíça), sobre a experiência de conhecer outras pessoas do mundo, entre outras.

Outras perguntas que foram feitas que merecem destaque: “Como podemos ajudar nos projetos da ONU?”, “Existe diferença entre os adolescentes de lá e de cá”.

A resposta de Pedro sobre a notícia de ter sido escolhido como representante Marista mostra um pouco de sua precoce maturidade: “Fiquei muito feliz ao ser escolhido porque a ONU é uma organização que advoga a favor da paz mundial. Então, foi uma honra poder discutir os Direitos das Crianças em uma organização deste porte”, afirmou.

Gabriel, na transmissão ao vivo, falou sobre o que o surpreendeu na conferência: “As pessoas são muito educadas, porém muito formais. O aspecto mais interessante foi a experiência de conhecer outras pessoas do mundo, outras realidades, diferenças culturais e até físicas. É bom entender que não existe só a sua cultura no mundo”, disse.

Gabriel acrescentou que os Direitos Humanos das Crianças e dos Adolescentes são os mesmos em todos os lugares do mundo, porém, segundo ele, o que muda são os pontos em que cada país pode aperfeiçoar a garantia dos direitos: “No Brasil, precisamos estar de olhos atentos para a educação, em muitos países desenvolvidos, este é um tema superado”.

Projetos de Intervenção Social (PIS)

 Após a abertura com destaque para os alunos que foram à ONU, houve partilha dos projetos realizados pelos alunos. O 4° ano C do Marista Arquidiocesano apresentou o projeto “Um olhar cãorinhoso para o mundo: superando as adversidades” ao vivo para o colégio Paranaense. O 5° ano C mostrou “O Brasil que eles querem”. Esse Brasil, defendido pelos alunos, tem pitadas de justiça, de não violência, de solidariedade, de igualdade social, de educação, de empatia.

Diversos outros projetos compuseram o Fórum, tais como: “A ação do homem na natureza: a importância da reciclagem para o meio ambiente”, “Dinheiro e Consumo”, entre outros.