Gamificação é alternativa para ensino de inglês durante período de distanciamento social

Gamificação é alternativa para ensino de inglês durante período de distanciamento social

Natália Venâncio

26 de maio de 2020 | 13h01

Alunos do Colégio Marista Arquidiocesano utilizam a técnica nas aulas virtuais

A gamificação é a aplicação de elementos de jogos e técnicas de design de jogos para problemas reais, que podem ser empregadas tanto para o meio corporativo quanto para a vida social. Em geral, ela é utilizada para aumentar o engajamento e despertar a curiosidade dos usuários, potencializando a consciência sobre um produto ou uma ideia.

O que a gamificação faz é tornar tarefas cotidianas muito mais prazerosas. Seu potencial pode ser considerado imenso: funciona para despertar interesse, aumentar a participação, desenvolver criatividade e autonomia, promover diálogo, resolver problemas, entre outros. É uma ferramenta poderosa para engajar os indivíduos, trazer mais cor à atividades comuns do cotidiano. A estratégia tem conseguido cada vez mais espaço na sociedade, sendo utilizada inclusive em aplicativos, livros, campanhas, sites e tem se tornado uma ferramenta envolvente para comprometer os jogadores que participam, distribuindo gratificações cada vez mais atraentes.

No Marista Arquidiocesano, a gamificação está sendo utilizada para aperfeiçoar o ensino da língua inglesa para crianças e jovens, pois, em meio ao isolamento social, atualmente as aulas estão ocorrendo em ambiente on-line. A ferramenta já era utilizada antes da suspensão das aulas presenciais, mas se intensificou com as atividades domiciliares.

De acordo com a Coordenadora de Internacionalização do Arquidiocesano, Vanessa Bocchi, a aplicação demonstra que a diversão é a maneira mais leve para impactar positivamente no aprendizado e em mudanças de comportamento. “Os elementos de gamificação para o ambiente virtual são utilizados em jogos como caça ao tesouro com contação de histórias, adivinhações com emojis e para desenvolver o vocabulário em inglês”, esclarece.

A docente explica que a gamificação não está relacionada apenas a entretenimento, pois também é uma ferramenta de aprendizagem com muito potencial, que usa a linguagem da tecnologia a seu favor. “Com ela, é possível despertar o interesse, a participação e estimular a resolução de problemas de forma rápida e praticando o poder de decisão dos alunos”, revela.

Outra vantagem do uso da ferramenta apontada pela professora é que ela reforça características positivas do ser humano, como cooperação, pensamento crítico, progresso, reconhecimento social, entre outras.

“A estratégia de gamificação possui uma determinada estrutura, que a torna capaz de provocar sentimentos muito intensos e estimulantes. Os objetivos estabelecidos aumentam o foco e a concentração e os desafios e recompensas são a grande motivação”, explica.

Uso da gamificação no processo de ensino-aprendizagem:

  • Por meio dela é possível transformar métodos de estudo, conquistar novas habilidades e organizar sob uma nova perspectiva as rotinas, tarefas e desafios do dia a dia;
  • Estimula a competição saudável;
  • Premia imediatamente;
  • Trabalha com feedbacks (positivos e negativos), diretamente atrelados às ações e decisões tomadas;
  • Traz a percepção de evolução;
  • Promove a superação;
  • Incentiva o compartilhamento e a colaboração entre os alunos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: