Estudantes produzem fotomontagens sobre cenas de filmes e desenhos famosos

Estudantes produzem fotomontagens sobre cenas de filmes e desenhos famosos

Natália Venâncio

08 de setembro de 2020 | 10h25

Disciplina de Arte do Colégio Marista Arquidiocesano usa a tecnologia e a criatividade para tornar alunos parte de obras de ficção

Parasita, Venom, Jogos Vorazes. Baseado em cenas de filmes e animes, alunos do Ensino Médio do Colégio Marista Arquidiocesano, produziram fotomontagens colocando-se em cena de seus filmes favoritos.  Muitos criaram autorretratos usando os cartazes de divulgação de filmes hollywoodianos, outros encenaram outras produções. O resultado é inusitado e imaginativo.

A aluna Cecília Nishi de Abreu tornou-se personagem do filme Jogos Vorazes – A Esperança (Parte 1), Glória Petrólio dos Santos, transformou-se em Venom, das histórias em quadrinhos na série do Homem-Aranha, do universo Marvel, estrelado por Tom Hardy, já Ewan Yeh colocou-se em cena do filme sul-coreano ganhador do Oscar, Parasita.

De acordo com a professora da disciplina de Arte, Rebeca Martineli, responsável pelo projeto, no período de quarentena os alunos têm aproveitado uma parte do tempo em casa para assistir filmes e desenhos.

“Atualmente, ver filmes faz parte da formação cultural e educacional das pessoas. No ambiente escolar, o diálogo entre arte, tecnologia e o fascínio do cinema resulta em experiências significativas, conectadas com múltiplos saberes, corroborando com a ampliação do repertório cultural e imagético; uma imersão crítica que dialoga diretamente com suas próprias consciências”, explica a docente.

Por meio do Design Thinking, os alunos são instigados a “misturar” visões de mundo, repertórios culturais e experiências, ressignificando o período complexo em que vivemos”, completa a docente.

Inspirado na animação em stop-motion “Coraline e o Mundo Secreto” de direção de Henry Selick, baseado no livro de mesmo nome do autor Neil Gaiman, a aluna da 3º série do Ensino Médio, Mariana Alves Siegl, reproduziu através de uma maquiagem artística (e também por meio de um vídeo) assim como no filme, a personagem “Beldam” ou “Grande Dama. “A animação, que por vezes parece apenas uma obra infantil, na realidade apresenta uma grande profundidade psicológica. Retratei o simbolismo contido na obra, principalmente através da simbologia dos olhos de botão costurados, pois sua remoção representa uma perda de visão da realidade”, explica Mariana.

Em meio ao distanciamento social, atualmente as aulas, ao vivo, estão ocorrendo em ambiente virtual.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: