Como os pais podem promover atividades enquanto as crianças estão em casa?

Como os pais podem promover atividades enquanto as crianças estão em casa?

Natália Venâncio

23 de março de 2020 | 18h33

É importante que os pequenos se envolvam em tarefas pedagógicas e continuem desenvolvendo as habilidades cognitivas, mesmo no período de suspensão das aulas presenciais

Com a suspensão das aulas presenciais em São Paulo diante da ameaça do novo Coronavírus, as crianças, assim com os adultos, terão de enfrentar um período em casa. A decisão é uma estratégia para impedir a propagação do vírus, ao evitar aglomerações.

O período de isolamento está longe de ser férias e exige responsabilidade e organização dos pais. Nessas semanas, é importante que os pequenos se envolvam em tarefas pedagógicas para ampliar e exercitar boa parte de seu potencial, “gastar a energia” e continuar desenvolvendo as habilidades cognitivas. É essencial também que as crianças e adolescentes tenham consciência de que o momento é de recolhimento e proteção de si e dos outros, principalmente dos mais velhos.

De acordo com a coordenadora de Educação Infantil do Colégio Marista Arquidiocesano, Rosana Marin, nesse momento delicado e de restrições, as crianças terão, oportunidades reduzidas de interação (eixo fundamental para o crescimento social), considerando que permanecerão distantes da escola. “Por isso, será ainda mais importante, em diversas situações, incentivar, valorizar e continuar favorecendo o desenvolvimento do brincar”, explica.

A docente esclarece ainda que a presença do professor é muito importante nesta fase, buscando formas de manter viva a memória escolar. Porém, o núcleo familiar tem muito a acrescentar, estando presente, acompanhando, mostrando interesse sincero por seus afazeres, orientando sobre dúvidas e revisando deveres concluídos. “Os familiares precisarão reorganizar a rotina dos pequenos, contudo, mantendo, dentro do possível, os mesmos períodos de ‘compromisso’ da criança, com as principais atividades do seu dia a dia: no período em que ela iria para a escola, estudar; hora de brincar; tomar banho; jantar em família etc. Neste momento não há ida para a escola, mas a escola poderá sim se fazer presente de tal forma, que acabará adentrando e, de maneira muito enriquecedora e prazerosa, à casa da criança”, ressalta Rosana.

Uso da tecnologia

O uso da tecnologia encurta as distâncias, colaborando para minimizar a falta que as crianças sentem da escola, dos professores e dos colegas. “As crianças podem conversar com os amigos utilizando a câmera do celular ou do computador, sob a supervisão de seus pais. O importante é não perder o contato”, sugere. “Além disso, os professores poderão postar vídeos curtos com mensagens, relembrando-as de que pertencem a um grupo, que logo mais se reunirá com imensa alegria e afeto”, finaliza.

A escola também deve promover propostas pedagógicas a serem realizadas conjuntamente em família. “Pedimos que, no momento da realização das atividades ou vivências, a família faça registros, por meio de fotos, frases, palavras, objetos, como um portfólio, dando-nos retornos, sempre que possível. Esse acompanhamento ajudará os professores a compor o olhar sistêmico do desenvolvimento das crianças, também nesse momento mandatório, de maior distanciamento”, argumenta a coordenadora.

Algumas dicas para os pais durante o período de suspensão das aulas:

  • Organizar uma rotina de estudos;
  • Criar um ambiente livre de distrações;
  • Todos da casa devem acordar no horário costumeiro. O ideal é que as crianças estudem no mesmo período;
  • Manter o contato com os amigos, mesmo que de forma virtual;
  • Criar um portfólio da atividade das crianças, por meio de fotos, frases, palavras e objetos;
  • Propor jogos educativos, assistir a filmes, ler livros.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: