Como as escolas podem colaborar com os pais na rotina escolar dos filhos?

Como as escolas podem colaborar com os pais na rotina escolar dos filhos?

Natália Venâncio

15 de abril de 2020 | 10h32

Durante suspensão das aulas presenciais, família deve estimular os estudos e ajudar a aliviar tensões

A pandemia da Covid-19 está trazendo imensos desafios para todos os setores, no Brasil e no mundo.  Neste momento de atividades domiciliares, os pais estão com muitas dúvidas. A principal delas é como se envolver no cotidiano dos filhos durante o distanciamento social.

O primeiro ponto de reflexão está relacionado ao fato de que a qualidade da aprendizagem começa em casa, no momento em que os pais a estimulam e participam da vivência escolar dos filhos.

“Com esse incentivo, facilita-se a alfabetização das crianças, elas mantém um maior foco nos estudos, obtêm as melhores notas, saem qualificadas para o mercado de trabalho, consequentemente, alcançam colocações melhores ao atingirem a idade adulta”, explica o diretor geral do Colégio Marista Arquidiocesano, Carlos Dorlass.

Facilite a adaptação

Frente ao atual momento, soluções de ensino remoto podem contribuir e devem ser implementadas. Portanto, durante a quarentena, os pais devem demonstrar entusiasmo e segurança, e explicar que as aulas que estão sendo ministradas de forma virtual possuem a mesma importância das presenciais. “Um bom conselho para os pais é ajudar os filhos a controlar a ansiedade, além de estimular o interesse pela aprendizagem”, defende Dorlass.

Acompanhe cada etapa de perto

O envolvimento das famílias é fundamental nesse momento. É importante reconhecer e valorizar cada conquista de autonomia do filho. Nunca reprima ou puna em caso de dificuldades de aprendizagem. “Delegue pequenas tarefas no dia a dia para os seus filhos, sempre respeitando a sua faixa etária e de desenvolvimento e, claro, dê o exemplo, lidando corretamente com as suas responsabilidades. Não o compare com irmãos ou amigos”, reforça.

Seja parceiro da escola

É de suma importância que os pais se mobilizem para que os professores recebam  apoio adequado, em especial considerando que são igualmente impactados pela pandemia. E diante de um cenário com características incomuns, os professores seguem sendo o ativo mais importante para encarar os desafios educacionais que se apresentam agora. “É preciso investir no fortalecimento da relação família-escola agora, pois esta trará ganhos não só a curto prazo, mas, fundamentalmente, quando a dinâmica presencial das aulas for reestabelecida”, explica.

Ensine em casa

Crie uma rotina. Mantenha um horário regular para o filho se alimentar, tomar banho e ir para a cama. Possibilite a compreensão do seu universo e seja criativo. Fale normalmente com a criança, sem diminutivos e infantilizações. Leia histórias e capriche na interpretação. “O estadista americano Benjamin Franklin já dizia algo profético: “Diga-me e eu esquecerei, ensina-me e eu poderei lembrar, envolva-me e eu aprenderei””, ilustra Carlos Dorlass.

O desafio é envolver

Os pais também ensinam a ler e escrever. Isso acontece quando a família transforma a casa em um ambiente alfabetizador, na qual o material escrito tem espaço e função. “Isso familiariza a criança com as letras e a estimula a valorizá-las”, esclarece.

Sementes de sabedoria

Uma das melhores maneiras de colaborar com o trabalho escolar é dar-se conta de que a educação não é só aquilo que a escola oferece. A premissa básica de uma família que valoriza o estudo é dar exemplo. Sempre que ler algo interessante em um livro ou em uma revista, os pais devem compartilhar com o filho e convidá-lo a ler junto. É possível comentar sobre o assunto que estão lendo, falar sobre o trabalho, perguntar à criança sobre as atividades realizadas e como é possível ajudar nas lições. “Se você quer que seu filho seja gentil, responsável e carinhoso, seja o exemplo pare ele”, frisa. 

Não negocie o inegociável

As crianças tendem a pedir tudo o que veem. Principalmente se estão se sentindo entediadas, por não poderem sair para um passeio ou uma visita a parentes ou colegas da escola. Os pais devem aprender a dizer “não” e a limitar os mimos. Porém, nem sempre é fácil reafirmar os deveres das crianças e a melhor forma de ensinar é por meio do exemplo. Pais que respeitam as diferenças, cumprem seus deveres e buscam se tornar cidadãos melhores e mais ativos na sociedade acabam passando esse modelo aos filhos, que buscarão reproduzi-los em seu meio.

“Reitero que educar e ensinar os deveres da criança, impondo limites, é um ato de amor, já que estaremos contribuindo para que os nossos filhos se tornem adultos responsáveis, justos e sensatos”, finaliza o diretor.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.