Começa a 34ª Oliarqui com 2,5 mil atletas de 50 colégios particulares de São Paulo

Começa a 34ª Oliarqui com 2,5 mil atletas de 50 colégios particulares de São Paulo

Natália Venâncio

16 de setembro de 2019 | 08h55

Campeão olímpico em 2016 pela seleção brasileira de vôlei William Arjona foi o atleta convidado para acender a pira olímpica

Considerada uma das maiores e mais importantes disputas escolares do Brasil, a 34ª Olimpíada do Colégio Marista Arquidiocesano (Oliarqui), localizado em São Paulo (SP), vai reunir 2,5 mil atletas de 50 colégios particulares do Estado. O evento iniciou no dia 13 e segue até 28 de setembro.

São aproximadamente 370 jogos, incluindo futsal, handebol, basquete e voleibol, além de atividades individuais, tais como: ginástica artística, xadrez, judô e natação. As atividades acontecem de segunda à sexta-feira, das 18h30 às 22h e aos sábados das 8h às 19h.

Alinhada com as competências do século 21, a 34ª Oliarqui busca propiciar o protagonismo juvenil, conforme proposto na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e incentivar a atividade esportiva no espaço escolar, assim como, promover a integração entre educadores e educandos.

A abertura do evento foi abrilhantada pelo levantador do Serviço Social da Indústria de São Paulo (SESI-SP), William Arjona, campeão olímpico em 2016 no Rio de Janeiro e eleito melhor levantador da temporada 2018/19 na Superliga Masculina de Vôlei (pela nona vez), que ficou responsável por acender a pira olímpica.

Na ocasião, os presentes também puderam apreciar, além do desfile das delegações, uma apresentação artística elaborada pelos professores Ivan Osses, Débora Medeiros, Mônica Serra, Nati Glitz, Diego e Silvana Marques – docentes do Núcleo de Atividades Complementares (NAC) do Colégio Marista Arquidiocesano. O tema abordado neste ano foi “Energia”.

A tocha olímpica foi conduzida pelos alunos/atletas do 3ºano do Ensino Médio: Thomaz Navajas, Mariana Sayfreid, Gustavo Braz e Helena Coelho, Leonardo Bono, Marcelo Napolitano, Ana Beatriz Viera e Luca Massar, Eduardo Curty, Isabela Tibaldi, Ricardo Mastandrea e Giovana Lima, Rodrigo Antunes, Raphaela Farina, Murilo Barreiro e Rafaela Both.

 “Para os estudantes é uma excelente oportunidade para treinar valores, aprimorando a superação, resiliência perseverança e solidariedade, além do exercício das habilidades do século 21”, destaca o coordenador do Núcleo de Atividades Complementares (NAC) do Colégio Marista Arquidiocesano, professor Mario Aparecido de Oliveira.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: