Arquidiocesano cria espaço de acolhimento e escuta

Arquidiocesano cria espaço de acolhimento e escuta

Natália Venâncio

15 de setembro de 2020 | 09h51

Propósito do Colégio é cuidar da saúde socioemocional dos alunos durante o isolamento social

O Colégio Marista Arquidiocesano irá utilizar suas plataformas virtuais de ensino para trabalhar questões de cunho emocional e para tirar dúvidas sobre os protocolos de biossegurança para quando ocorrer o retorno das aulas presenciais.

No espaço, denominado “Arqui de braços abertos”, os estudantes poderão falar, conversar, interagir, encontrar com seus colegas (virtualmente) e criar rodas de conversas. A intenção é criar um momento de interação social e de contato com outras questões e temas de interesse, que não sejam somente assuntos acadêmicos ou relativos à rotina familiar.

De acordo com a Coordenadora Psicopedagógica do Período Integral do Colégio Marista Arquidiocesano, Tânia Leão Tagliari, o isolamento social exigido pela pandemia do novo coronavírus tem desafiado os educadores a refletir acerca das questões socioemocionais, compreendendo o momento como uma oportunidade dos colaboradores e estudantes se tornarem mais solidários e oferecer ajuda aos seus familiares, amigos, vizinhos e colegas de trabalho.

“As soluções tecnológicas oferecidas nas aulas on-line promovem conexão, interação e apoio durante a aprendizagem, porém, além das aulas à distância, compreendemos que seria importante ter um espaço de acolhimento e escuta, que irá contribuir para que os estudantes mantenham a saúde mental e o equilíbrio emocional”, afirma a docente.

“Considerando a “Pedagogia da Presença” como um dos pilares mais relevantes da proposta educativa, indagamos: como nós educadores podemos contribuir ainda mais e ajudar os nossos estudantes a manterem a saúde mental e o equilíbrio emocional com base na fé, na esperança e presença significativa? Sabemos que o bem-estar das crianças e dos jovens não deve ser colocado em segundo plano, principalmente em um momento de crise tão severa quanto a atual”, finaliza Tânia Leão.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: