Arqui promove coletivo de arte em homenagem aos 100 anos da Semana de Arte Moderna

Arqui promove coletivo de arte em homenagem aos 100 anos da Semana de Arte Moderna

Natália Venâncio

29 de abril de 2022 | 11h39

Programação especial conta com manifestações artísticas que tem como inspiração o movimento

Em comemoração ao centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, evento considerado o mais importante da cultura brasileira, os alunos do Colégio Marista Arquidiocesano, prepararam uma programação cultural especial: um coletivo de arte repleto de atrações com a curadoria educacional dos professores, trazendo o olhar daquela época para os dias atuais.

Já imaginou o encontro das Anitas? A Malfatti e a cantora atual? Já refletiu sobre nomes que ficaram de fora desse movimento, pois não faziam parte da elite paulistana?

Com declamações de manifestos, dados demográficos sobre a cidade, histórias sobre as mulheres esquecidas no movimento da semana, os estudantes também ouviram um lindo recado da Tarsila (sobrinha neta, chamada carinhosamente de Tarsilinha).

E para quem gosta de música, destaque  para a interpretação das canções, em voz e violão, como “Triste, louca ou má” e “Trenzinho Caipira”. Essas e outras ações artísticas propostas pelo colégio irão até novembro.

A Semana de Arte Moderna de 1922 foi um marco na história de São Paulo, considerada um divisor de águas na cultura brasileira. O evento foi organizado por um grupo de intelectuais e artistas por ocasião do Centenário da Independência, entre eles Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Menotti Del Picchia, Heitor Villa-Lobos e Anita Malfatti.

“A revolução no modo de fazer arte no Brasil ecoa intramuros e emociona quem gosta e se interessa por cultura. São ecos de 1922 em 2022”, afirma a docente da disciplina de Artes do Colégio Marista Arquidiocesano, Rebeca Martineli de Melo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.