Alunos do Arquidiocesano fazem projeto para ajudar mulheres grávidas em situação de rua

Alunos do Arquidiocesano fazem projeto para ajudar mulheres grávidas em situação de rua

Natália Venâncio

26 de outubro de 2020 | 10h50

Grupo do Colégio Marista Arquidiocesano se une para arrecadar itens para futuras mães atendidas pelo Bompar

Estudantes do 3º ano do Ensino Fundamental – Anos Iniciais – do Colégio Marista Arquidiocesano, localizado em São Paulo (SP), promoveram uma arrecadação de itens para enxoval, como produtos de higiene, medicamentos, cobertores e carrinhos de bebê para mulheres grávidas em situação de rua atendidas pelo Bompar ou Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto. Além da doação dos artigos, as crianças também escreveram cartões com mensagens de apoio, carinho e incentivo para serem entregues para as novas mães.

A instituição Bompar, hoje com 73 anos de existência, atende aproximadamente 13 mil pessoas por dia, em 52 unidades. Sua missão é articular e contribuir para a defesa dos direitos das crianças e dos adolescentes, familiares, população em situação de rua e idosos de São Paulo, por meio de programas socioeducativos.

A atividade faz parte do Projeto de Intervenção Social (PIS) do Colégio, uma prática pedagógica Marista que promove o diálogo e o protagonismo, permitindo entender as necessidades humanas e sociais, questioná-las e traçar caminhos para enfrentar as problematizações contemporâneas. Antes de iniciar a arrecadação, as crianças escolheram o tema em uma discussão sobre “o futuro que queremos”, abordagem sugerida pelo Marista Arquidiocesano, refletiram sobre possíveis maneiras de intervir naquele contexto social e planejaram as ações mediadas sempre pelas professoras.

O trabalho foi orientado pela Coordenadora pedagógica Lilian Gramorelli e conduzido pelas professoras Ieda Pacini Denda, Sônia Nascimento Felice dos Santos e Mônica Rocha Romera e denominado “Empatia vem do berço”.

De acordo com uma das docentes responsáveis, Ieda Pacini Denda, os estudantes disseram que queriam um futuro sem pobreza, sem fome, sem racismo, sem Covid-19, sem poluição e sem violência. “Eles explicaram que não queriam ver mais pessoas morando nas ruas. Ao saber que a mãe de um aluno da sala coordena um trabalho realizado com mulheres grávidas nessa situação, concordaram em fazer uma intervenção para ajudá-las”, explica.

“Com isso, resolvemos organizar uma arrecadação de itens de enxoval de bebê, que serão entregues às futuras mamães em um chá de bebê, organizado pela Bompar, e colaborar em um trabalho de conscientização dessas mães, pois muitas delas perderam o vínculo com suas famílias”, finaliza Ieda.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: