Não queremos flores, queremos respeito

Não queremos flores, queremos respeito

Colégio Ítaca

08 Março 2016 | 14h27

Hoje, 8 de março, nós, do Coletivo Feminista Ártemis, do Colégio Ítaca, transformamos a escola em espaço de resistência e luta.

O Dia Internacional da Mulher, inicialmente criado como memória às trabalhadoras fabris estadunidenses queimadas em um incêndio em seu local de trabalho, ao lutarem pelos seus direitos, foi tomando grandes proporções, englobando movimentos internacionais, como na ação política das operárias russas contra o czar Nicolau II, na disseminação da leitura de “O segundo sexo”, de Simone de Beauvoir, ou na fogueira de sutiãs nos Estados Unidos. Foi assim que, em 1975, a ONU acabou por reconhecer o dia 8 de março como Dia Internacional da Mulher, data que nos remete à nossa luta diária.

Como projeto para este dia, criamos cartazes para conscientizar a todos e para problematizar atos que passam despercebidos. Além disso, usamos o ambiente escolar para debater questões da mulher e opressões diárias. Para que se reconheça o movimento, viemos de roupas roxas (símbolo feminino) e batom vermelho (representando relacionamentos abusivos e retomando o direito sobre nosso corpo).

Não queremos apenas flores ou chocolate. A luta não para!

Texto e cartazes: Coletivo Ártemis

DSCN4063 DSCN4076  DSCN4082 DSCN4093 DSCN4099DSCN4081