Lugar de lixo é no lixo… Será?

Lugar de lixo é no lixo… Será?

Colégio Ítaca

07 Abril 2015 | 12h19

CAM01729  CAM01727  

Trazer a questão da sustentabilidade para a sala de aula pode não apenas despertar no aluno a consciência acerca da importância de se olhar criticamente para as iniciativas sustentáveis que ocorrem à nossa volta, como também promover atitudes de maior preocupação com o meio ambiente.

Algumas pequenas ações podem fazer toda a diferença no que diz respeito a ser ou não sustentável. Vejamos algumas iniciativas relacionadas aos resíduos gerados aqui no Ítaca.

  • Um trabalho organizado pelos alunos do 7º ano, com a participação de representantes de todas as demais turmas, administra os descartes diários tanto em classe quanto nas outras áreas coletivas da escola.
  • Um coletor de pilhas e baterias colocado em local de passagem arrecada esse tipo de material para posterior envio às empresas responsáveis por seu descarte.
  • Uma composteira é “alimentada” com restos de cozinha da cantina e folhas acumuladas no jardim da escola. O material orgânico decorrente dessa “alimentação” é usado na horta mantida pelos alunos do EF1.
  • Os descartes provenientes da coleta seletiva – papéis, plásticos, metais – são encaminhados a cooperativas que comercializam ou redirecionam esses materiais para novos usos.

CAM01724 CAM01728

Outra iniciativa importante é a adesão da escola a dois projetos. O primeiro, de uma empresa fabricante de produtos de limpeza, visa a coletar esponjas de cozinha usadas. Apesar de serem plásticas, essas esponjas não podem ser colocadas junto a outros materiais recicláveis, pois estão contaminadas com gordura e bactérias. Além da preocupação com o descarte adequado do produto, o trabalho envolve uma questão social, pois as esponjas enviadas convertem-se em pontos, que se transformam em dinheiro a ser doado a uma instituição.

A outra ação, ligada a um fabricante de instrumentos de escrita, recicla canetas, lápis, borrachas, apontadores e lapiseiras usados, direcionando esse material à produção de diversos itens, como lixeiras, bancos etc.

 

Ser sustentável, portanto, impõe mudanças de atitude e do modo como olhamos para o mundo em que vivemos. Colocar a mão na massa e buscar soluções para que nossa pegada no planeta seja leve é um bom começo, não acha?Como se vê, lugar de lixo nem sempre é no lixo, afinal o que não serve mais para algumas pessoas para outras pode ser matéria-prima, adubo e até ganha-pão.


Texto: Profª Cecília Arruda (Sustentabilidade – EF2)