Saliva, suor e lágrimas: o adeus ao ano letivo

Colégio FAAP

13 de dezembro de 2019 | 09h10

Pensar em toda despedida como uma forma de morte é, sem dúvida, uma generalização injusta: encerrar períodos felizes, nos afastar de pessoas que amamos será, sempre, perceber que tempos felizes são eternos por serem patrimônios inamovíveis e por terem a capacidade de nos tentar reproduzi-los.

Despedir o ano letivo tem o significado, para nós educadores, de nos obrigar a um cuidadoso balanço que aponte o que pudemos aprender e que nos projete para a construção do ano seguinte. Um dos mais nocivos vícios do educador é o de sempre cobrar o que nossos alunos aprenderam, sem nos darmos conta da reciprocidade, ou seja, do que aprendemos com eles…

Quando tudo nos leva ao silêncio, quando tudo nos aconselha o descanso, é a hora de pararmos e ponderarmos sobre o que faltou fazer, sobre quando e onde poderíamos ter sido melhores. A essência de um projeto pedagógico honesto é a firmeza pétrea dos princípios e a efemeridade das posturas e das ferramentas.

Ver os nossos meninos partirem, apesar das incertezas da vida, é ter a dor da partida atenuada pela fé que neles depositamos. É saber que, mesmo os que ainda conosco ficarão, não voltarão iguais. Por isso mesmo, nos fortalecemos para o enfrentamento de batalhas inusitadas, pois se o novo sempre vence, devemos nos renovar para continuarmos juntos a ele.

O fim de uma jornada, quando as forças estão quase anuladas, é o momento propício para sentarmos com a nossa equipe e deixarmos sentimentos e razão trabalharem, é a boa hora para se olhar o caminho percorrido e refletir. Fico triste, no mundo da educação, com festas de fim de ano, nas quais parece que o educando, a razão de sermos, fica marginal à alegria, mesmo nas formaturas.

Desapegar de um ano letivo significa ter muito claro que a essência da educação é o convívio com o novo, com o desconhecido, a vontade de enfrentar o inusitado, a destemida esperança na humanidade apesar de tudo!

Professor Henrique Vailati Neto é diretor do Colégio FAAP – SP. Formado em História e Pedagogia, com mestrado em Administração. É professor universitário nas disciplinas de Sociologia e Ciência Política. Tem quatro filhos e quatro netos.

Troque ideia com o professor: col.diretoria@faap.br

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: