Refletindo as dimensões do espaço pedagógico

Colégio FAAP

31 de maio de 2019 | 12h01

Transformar informações em conhecimentos pertinentes e experiências em aprendizado são tarefas essenciais para os educadores. Entende-se por educadores todos aqueles que empenham suas vidas na crença de que se pode ajudar a melhorar os outros.

Sempre atento às premissas acima, temos pensado a vida escolar enquanto oportunidades para que, em todos os seus momentos, consigamos abordagens pedagógicas. Há poucos instantes, fomos levados a cuidar de um daqueles casos de “intolerância ao não”, típicos desta geração que tem muito pouca capacidade de aceitar e aprender com as adversidades.

Tivemos uma fase na educação onde a maioria dos impasses comportamentais se concentrava nos limites, no respeito aos espaços e às pessoas. Não que essa aresta tenha sido polida. Ela é companheira de outros desafios mais agudos e, dentre eles, a incapacidade dos jovens de transformar derrotas e desapontamentos em lições de vida. Como esta geração tem uma “adolescência estendida”, tal incapacidade traz severos comprometimentos no futuro.

Dessa forma, trabalhar os “incidentes de reatividade às negações” é uma obrigação do educador. Vivemos uma cultura em que qualquer impossibilidade de realizar um desejo ou ato é entendida como uma derrota. E “derrotado” é um gravíssimo estigma. Pensar a vida sem essa bipolaridade, de  vencidos e vencedores, é um desafio civilizatório, é uma titânica tarefa de pacificação, a construção de uma concepção de vitórias sem derrotados.

Produzimos uma geração que entende a felicidade perene como um direito inalienável, que imagina o cotidiano como um fluxo suave, risonho e franco.

Cabe, portanto, a nós educadores fazer os jovens encarar as dificuldades do viver, apoiá-los sempre, mas nunca buscar criar atalhos ou defensas que criem um mundo artificial, atrofiem sua autonomia e os infantilizem para sempre.

 

Professor Henrique Vailati Neto é diretor do Colégio FAAP – SP. Formado em História e Pedagogia, com mestrado em Administração. É professor universitário nas disciplinas de Sociologia e Ciência Política. Tem quatro filhos e quatro netos.

 

Troque ideia com o professor: col.diretoria@faap.br

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: