Quando a simplicidade é luxo: formaturas

Colégio FAAP

21 Dezembro 2016 | 14h59

Final de ano traz, tradicionalmente, uma ameaça para todas as famílias que têm jovens em vias de alguma formatura: aquelas cerimônias maçantes onde alguns choram de pura emoção e, o restante, de aporrinhação.

Para nós, que nos enquadramos no time dos chorões e, mais ainda, que podemos  ser responsáveis, em parte, pelo choro dos torturados, algumas considerações e outras poucas sugestões aos colegas gestores escolares.

Nesta “era do espetáculo”, como a denominou o filósofo Gilles Lipovetsky, qualquer evento tende a se revestir de cores e formas exageradas o que conduz a excessos, geralmente, de péssimo gosto em sacrifício, quase sempre, de incautos convidados ou, no mínimo, criando um processo de multiplicação do ruim.

Como todos os ritos de passagem, as formaturas têm seus significados transformados pelo passar dos anos: outrora, num contexto em que o ensino era, profundamente, elitizado. Completar uma etapa era motivo de grande júbilo que exigia pompa e circunstância em grande estilo.

Com a democratização da educação e, sobretudo, com a necessidade continuada do aprendizado, as formaturas adquiriram um novo, e não menos importante, significado: liturgias de celebração da amizade entre alunos, famílias e professores, momento de reconhecimento pela dádiva do aprendizado recíproco.

Nessa nova dimensão, as roupagens antigas podem resvalar pelo ridículo e, o que é pior, fazer perder esse novo e profundamente humano sentido, o do luxo extremo da singeleza que se exprime, não em discursos formais, mas nas sinceras declarações de amizade e gratidão que antecipam a saudade que nascerá do bem viver.

Despir-se do antigo inadequado, nunca será romper tradições, mas dar a elas a atualidade que as eternizará.

Assim convido os responsáveis a darem aos seus alunos e famílias nossa demonstração de que, enquanto educadores, nos atualizamos em todos os segmentos da vida escolar.

Professor Henrique Vailati Neto é diretor do Colégio FAAP – SP.
Formado em História e Pedagogia, com mestrado em Administração. É professor universitário nas disciplinas de Sociologia e Ciência Política. Tem quatro filhos e quatro netos.

Troque ideia com o professor: col.diretoria@faap.br