Para implantar um novo currículo com responsabilidade

Colégio FAAP

14 de janeiro de 2022 | 11h00

Um dos objetivos permanentes do Colégio FAAP sempre foi o de, sistemática e ininterruptamente, atualizar estratégias didático-pedagógicas direcionadas para a realidade de nossa comunidade escolar.

Nesse sentido, a implantação da Base Nacional Comum Curricular foi mais um passo rotineiro que, sem grandes adaptações de nossas estratégias, mas com a mesma cautela, poderemos implementar.

Tal como já vivemos em nossa longa carreira educacional, quer por carências estruturais, quer por conservadorismos empedernidos, muitas escolas “maquiarão” seus velhos currículos escamoteando o espírito da lei, atitude que, em hipótese alguma, perpassou pelo projeto que nosso Colégio implantará. 

Essa advertência se faz necessária para que, prevenindo as famílias que possuem seus filhos no ensino médio, elas possam se precaver de embustes e aventuras pedagógicas que, quase sempre, comprometem projetos sérios. Descumprir leis e normas como subterfúgios, quando o cumprimento exige envolvimento e trabalho, parece um dos traços malignos de nossa cultura que, sobretudo na educação, tem que ser extirpado pelos efeitos devastadores no futuro de gerações e de qualquer projeto civilizatório procedente. Essa é tarefa precípua que nos cabe. 

O Colégio FAAP, como sempre, teve como norma gestora essencial, a partir do profundo conhecimento do perfil e dos anseios de nossa comunidade, elaborar um projeto coerente e adequado. Fruto de uma construção coletiva da nossa equipe pedagógica, criamos um currículo que gravitará um projeto de pesquisa que permitirá aos nossos alunos a opção pelas duas grandes áreas do conhecimento, a saber: Humanas e Ciências da Natureza, sem desconsiderar o embasamento indispensável à área preterida. 

Como ponto de partida (coisa que as famílias devem observar em todos os projetos escolares considerados), há que se conferir ao novo currículo a plasticidade necessária a contemplar a pouca maturidade do educando nessa fase de sua vida. Pretender que um adolescente escolha seu futuro caminho de vida é pressupor que, tanto o contexto futuro deste tempo de alucinantes e radicais mudanças possa ser previsto, quanto garantir que escolhas precoces não possam engessar vidas. 

De outra forma, a apresentação de áreas do conhecimento e escolhas mais conscientes devem acontecer fora de um padrão tradicional que, em sua grande maioria, acaba por obscurecer o sentido pragmático do conhecimento e, por conseguinte, conduzem os jovens a “escolhas menos áridas”. 

E, como fator essencial à implantação exitosa de qualquer projeto para o ensino médio tradicional (que visa, primordialmente, o ensino universitário) o mesmo deve ser acompanhado por um constante e muito cuidadoso Projeto de Orientação Vocacional que, ampliando horizontes, norteie opções mais conscientes, ou seja, mais amadurecidas. 

É nessa conexão com o mundo real que o Colégio FAAP se diferencia com a parceria com o Centro Universitário FAAP. O Projeto Vocacional e a implementação do novo currículo se potencializam pelo convívio sistemático com a cultura acadêmica, enquanto passo concreto para escolhas profissionais. 

 

Professor Henrique Vailati Neto é diretor do Colégio FAAP – SP. Formado em História e Pedagogia, com mestrado em Administração. É professor universitário nas disciplinas de Sociologia e Ciência Política. Tem quatro filhos e quatro netos.

 

Troque ideia com o professor: col.diretoria@faap.br

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.