E a vida renasce das férias

Colégio FAAP

24 de janeiro de 2019 | 13h10

Para nós professores, assistir ao incomparável espetáculo do reinício das aulas é a confirmação de que a vida e a esperança se renovam. E essa deveria ser a postura de todos.

Aceitar o reinício das aulas como um mal-disfarçado alívio é traço nocivo e, muitas vezes, inconsciente de nossa cultura familiar. Pela falta de tempo ou pela escassez de opções de lazer da vida urbana, ter os filhos em casa pode se tornar um desafio que acaba por contaminar a essência mesma das férias familiares: o convívio prazeroso de um tempo escasso.

Se cabe à escola fazer do recomeço uma recepção calorosa onde os amigos se reencontram e os recém-chegados sejam cuidadosamente inseridos na nova cultura, compete às famílias afastar os temores próprios da novidade e comemorar o recomeço enquanto um momento de gratidão pela dádiva tão rara da educação.

Retirar os ranços negativos do fim das férias, se não é tarefa fácil, é obrigação à qual não podemos nos furtar. É repensar o quanto custa e vale a educação. É ajudar o educando a encarar com firmeza as agruras naturais do processo de aprendizagem, é fazê-lo entender que conquistas implicam em sacrifícios.

Assim, fazer do início das aulas um acontecimento festivo é a maneira mais efetiva de conferir à educação seu caráter essencial: a esperança de crescer.

 

Professor Henrique Vailati Neto é diretor do Colégio FAAP – SP. Formado em História e Pedagogia, com mestrado em Administração. É professor universitário nas disciplinas de Sociologia e Ciência Política. Tem quatro filhos e quatro netos.

 

Troque ideia com o professor: col.diretoria@faap.br

Tendências: