Defasagem escolar, um sério desafio

Colégio FAAP

17 de maio de 2021 | 17h54

Dentre os inúmeros desafios que afligem os educadores nesta excepcionalidade, a defasagem escolar que, sem dúvida, afetará os estudantes em todos os níveis, é um severo repto. É certo (e cruel) que nas faixas mais carentes da população a tarefa demandará inauditos esforços para que as diferenças sociais não sejam, ainda mais, aumentadas.

Se em tempos de normalidade o aproveitamento escolar já enfrentava defasagens que exigiam inovador e especial tratamento, agora há que se reavaliar e, talvez, descartar muitas das fórmulas exitosas usadas para a recuperação de dificuldades de aprendizagem escolar.

Para começar, há que se examinar, criteriosamente, que tipo defasagem se quer trabalhar.

 Usual e equivocadamente, se busca repor conteúdos: como sempre insistimos, na “era do conhecimento” a “informação essencial” deve ser reavaliada, pois muito do que se considerava conhecimento indispensável tornou-se descartável pela acessibilidade imediata e, assim, relativizando a importância da memorização.

Trabalhar as habilidades intelectuais essenciais é o fulcro da questão!

E, como em toda a tarefa pedagógica, cuidado extremo e abordagem individualizada devem conduzir a ação: cada educando tem um ritmo próprio que deve ser, sempre, respeitado. Ações coletivas e massificantes têm o risco de penalizar tanto alunos mais capacitados como, sobretudo, os que necessitam de maiores cuidados.

Em sentido contrário, grande parte da aflição dos educadores esquece a incrível plasticidade dos cérebros jovens em se adaptarem e superarem novos obstáculos, criando atalhos criativos, que são minimizados. Um pouco de neurociência atenuaria nossas aflições nos oferecendo preciosas ferramentas pedagógicas.

Como sempre, calma, cuidado e, acima de tudo, a indispensável e preciosa parceria do estudante enquanto sujeito do aprendizado, será o caminho para se educar na dificuldade: situação rotineira em nossa educação…

 

 

Professor Henrique Vailati Neto é diretor do Colégio FAAP – SP. Formado em História e Pedagogia, com mestrado em Administração. É professor universitário nas disciplinas de Sociologia e Ciência Política. Tem quatro filhos e quatro netos.

 

Troque ideia com o professor: col.diretoria@faap.br

 

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

Ensino MédioColégio FAAPFAAP

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.