“As redes sociais contribuem para o multiculturalismo”

“As redes sociais contribuem para o multiculturalismo”

Colégio FAAP

22 de fevereiro de 2019 | 09h43

Na opinião da professora de Língua Portuguesa, Sandra Raposo Tenório, não se deve ignorar o universo digital em que os alunos estão inseridos

 

Admiradora de Clarice Lispector, a professora Sandra Raposo Tenório ministra as aulas de Língua Portuguesa no Colégio FAAP desde 2007, onde também promove círculos de leitura com o objetivo de estimular o contato com textos de boa qualidade.

Sandra não vê a internet como uma inimiga, mas sim como mais uma oportunidade de buscar conhecimento, desde que os alunos estejam bem orientados. “É importante considerar que as redes sociais trazem oportunidades de comunicação, portanto não podem ser ignoradas. Mas é preciso educar o aluno para usá-las com adequação de tempo e discernimento.”

“O Pequeno Príncipe” é uma das obras que está sendo trabalhada com os alunos do Colégio FAAP (Foto: Fernando Silveira / FAAP)

 

Confira a entrevista da professora para o Blog:

Qual o maior desafio no ensino de português hoje, tendo em vista, principalmente, o advento das redes sociais?

Temos de pensar num novo letramento, o virtual, porque, neste ambiente, encontramos novos gêneros textuais e recebemos grande quantidade de informação, quase de imediato. Aprender a selecionar as informações é imprescindível, pois nem sempre elas são de fontes confiáveis. É preciso considerar também que as redes sociais podem trazer oportunidades de comunicação enriquecedoras. Uma escola que ignora isso situa-se à parte do mundo atual. As redes sociais podem contribuir para o multiculturalismo, se usadas a partir de uma visão ética, que une os homens. O aluno pode estabelecer contato com pessoas de outros países e isso tem estreita relação com a formação humana. Claro que depende de quem atua atrás da “telinha” e como. Trata-se de uma nova ferramenta de aprendizagem, a qual devemos aprender a manusear com consciência e discernimento.

Como competir com as redes sociais?

Não cabe à escola competir com as redes sociais, mas sim integrá-las ao contexto, quando necessárias. É possível programar atividades em que os alunos produzam textos, façam pesquisas, compartilhem informações ou trabalhos no ambiente virtual. Se o aluno encontrar um texto de qualidade on line e o trouxer para discussão, certamente  enriquecerá a aula. As imagens que surgem nas redes sociais podem ajudar a compreender palavras e significados. Podemos ter acesso a bibliotecas e museus no mundo inteiro. Ilustrar trabalhos com imagens extraordinárias. Comparar os lugares que imaginamos ao ler um livro, com a realidade. É bastante divertido. Nestas redes, como no Facebook, há a oportunidade de formar grupos produtivos de discussões diversas, expor trabalhos e comunicar eventos.

De que forma o Colégio incentiva os alunos a lerem textos de boa qualidade?

Selecionamos, principalmente, excertos de obras literárias clássicas e lemos  com os alunos, em círculo, estimulando-os a conhecerem diferentes perspectivas de interpretação, redescobrirem-se nas diferentes personagens, falarem sobre seus sentimentos e observarem como os autores os expressaram e criaram a obra. É importante desenvolver a mente e o caráter dos jovens por meio do contato direto com os grandes livros da história da humanidade. No círculo, os alunos dialogam com o espírito da literatura, penetrando num outro tempo, o da narrativa. Se o aluno quiser trazer um texto complementar, valorizamos o seu interesse e também o comentamos.

Como fazer “alunos digitalizados” produzirem textos de qualidade?

Além de incentivar a leitura de textos credenciados e interessantes por meio da pesquisa acadêmica ou a partir de interesses pessoais dos alunos ou do grupo, mostramos a importância de conhecer a gramática da língua para uma expressão linguística eficaz. Até mesmo porque, expressar-se com correção é imprescindível para uma boa comunicação e atribui credibilidade ao que se diz e portanto a quem diz. E só é possível enriquecer o vocabulário lendo livros, notícias.

Como aproveitar o universo digital em favor da “língua” bem falada?

Indicando sites que reproduzem bons textos e fornecem informações confiáveis. O universo digital possibilita o acesso a autores e textos não disponíveis na nossa língua ou ainda não editados.

Poderia sugerir bons textos ou livros para leitura dos jovens?

Eu sugeriria os clássicos. Há sites como o Domínio Público, que disponibilizam on line as grandes obras literárias. No momento, estou trabalhando “O Pequeno Príncipe” com uma turma, um clássico que trata da importância de estabelecermos relações afetivas reais para superarmos o isolamento psíquico e a competição do mundo atual. Alguns alunos reclamam, a princípio, da indicação de romances como “Iracema”, de José de Alencar, ou de contos de Machado de Assis, pela linguagem, achando-a complexa. Porém, após a leitura em círculo, descobrem a beleza da obra, que se torna inesquecível. Estamos lendo algumas  cartas de amor de Sóror Mariana Alcoforado, de Werther, personagem de Goethe, e de Rainier Maria Rilke, como introdução ao Romantismo, e conversando sobre o amor. Os alunos produzirão cartas de amor, depois da leitura destes textos. Os Contos da Clarice Lispector são ótimos, em especial “Laços de Família”, de que gosto muito, pois tratam da mudança da condição da mulher na nossa sociedade, e principalmente do amor e da receptividade do feminino. Indicaria ainda “ Poesia reunida”, de Adélia Prado, um dos nomes vivos mais respeitados da literatura nacional. Livros de Adriana Lisboa, Caio Fernando de Abreu, Patrícia Melo e Haruki Murakami. A poesia do sensível Manoel de Barros, o poeta das miudezas, e a do irretocável Carlos Drummond de Andrade, particularmente a obra “Claro Enigma”, que trata do tema da memória, o que surpreende o jovem. Também os contos do argentino Júlio Cortázar, em “Bestiário”, como o da “A casa tomada”. On line, existem revistas muito interessantes como a Revista Bula , com crônicas, contos e artigos sobre Artes.  Em “ O Recanto das Letras”, autores inéditos de língua portuguesa expõem seus trabalhos. Enfim, há um vasto e fascinante  universo a explorar.

 

Tendências: