A importância de todas as ciências

Colégio FAAP

19 de junho de 2019 | 10h33

Há muito tempo, imaginei que a discussão sobre a importância de certas ciências em detrimento de outras houvesse sido enterrada em algum jazigo esquecido. Não conseguiria pensar que alguém pudesse exumar tal discussão.

O seu retorno, envolvido em brumas político-ideológicas, nos obriga a uma breve e didática reflexão, sobretudo, pela indagação de nossos alunos sobre aquele que é o caldo azedo dessa discussão: a pouca utilidade das ciências humanas na comparação com as ditas exatas.

Tendo nascido e vivido numa cultura profundamente humanística que, em nenhum momento, desmereceu os demais campos da ciência, fico acabrunhado com comparações descabidas e despropositadas que, longe de valorizarem, desmerecem todas. Quando avaliamos a ciência, apenas enquanto produtora de tecnologia, incorremos numa miopia comprometedora de toda a linha de produção científica por matarmos, em seu nascedouro, vocações que, irreversivelmente, comprometerão o nosso processo civilizatório.

Sinto a sensação de quem precisa justificar a importância da eletricidade ou da penicilina, mas esse é o trabalho do educador: explicar, explicar novamente e tantas vezes quantas houver dúvidas, pois elas são a semente das ciências.

Assim, volto a lembrar de grandes impérios tecnológicos e desumanizados como a Alemanha nazista e a União Soviética que se transformaram em “produtores exemplares” de massacres da humanidade.

Nunca é demais lembrar de expoentes das ciências ditas exatas como Einstein, Sakharov, Opeheimer, Berthrand Russel, Stephen Hawking e uma extensa lista que, no ápice de suas carreiras, se debruçaram em discussões sociais e filosóficas demonstrando que o sentido e a referência final de tudo o que se faz é a felicidade humana e a justiça social.

Qualquer desvio que possa atrofiar, amesquinhar ou direcionar o pensamento para um foco em detrimento do pluralismo e da liberdade de pensamento é barbárie e retrocesso.

 

Professor Henrique Vailati Neto é diretor do Colégio FAAP – SP. Formado em História e Pedagogia, com mestrado em Administração. É professor universitário nas disciplinas de Sociologia e Ciência Política. Tem quatro filhos e quatro netos.

 

Troque ideia com o professor: col.diretoria@faap.br

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: