A gestão de um verdadeiro caos temporal

Colégio FAAP

26 de agosto de 2020 | 16h10

A mais humana e terrível variável é, sem dúvida, a inexorabilidade do tempo: domá-lo, detê-lo, enganá-lo, suportá-lo, tudo termina em aceitá-lo como a definitiva referência da vida.

Nunca, na História, o homem enfrentou medidas tão opostas e conflitantes do tempo, que neste momento aceleram o caos civilizatório que vivemos.

Se nossas vidas, ainda, são medidas em horas e minutos (referências incômodas e escravizantes amarradas em nossos pulsos, inscritas em quase todos os aparelhos que nos cercam), vivemos, da mesma forma, nossas rotinas no tempo do universo digital, o nano segundo, a milionésima parte do segundo e, quando este “tempo da máquina” hesita, nos parece que tudo está paralisado.

No polo oposto a esse tempo informacional fulminante, milhões de seres pautam suas vidas, rigorosamente, pelas éticas e valores multimilenares das religiões tradicionais que, enquanto reação à transitoriedade e inconsistência, vive no limiar da imobilidade.

Tal caldo de tempos opostos e conflitantes geram, em nossos inconscientes, impasses que vão da profunda insegurança em nossos valores, à incapacidade de discernirmos a gestão adequada do cotidiano, a medida temporal a ser seguida e, aqui, chegamos ao ponto:

Voltar à “vida normal”!

Retornar às aulas presenciais!

Esperar as vacinas ou a imunização de rebanho?

Nesse emaranhado temporal, nossas urgências, nos fazem ignorar o bom senso e a ciência.

Entre o tempo de “muito longa duração” (de Fernand Braudel) e a centelha temporal informacional, devemos localizar a medida adequada: nas maiores decisões é que o momento certo faz a diferença.

Eis mais uma grande tarefa didática a trabalhar com os nossos alunos, refletir sobre essa medida da nossa humanidade.

Professor Henrique Vailati Neto é diretor do Colégio FAAP – SP. Formado em História e Pedagogia, com mestrado em Administração. É professor universitário nas disciplinas de Sociologia e Ciência Política. Tem quatro filhos e quatro netos.

Troque ideia com o professor: col.diretoria@faap.br

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: