Por meio da reciclagem, fraldas descartáveis usadas podem virar itens plásticos e até pisos

Por meio da reciclagem, fraldas descartáveis usadas podem virar itens plásticos e até pisos

Colégio Elvira Brandão

11 Agosto 2016 | 14h34

Colégio Elvira Brandão firma parceria com empresa de transformação de resíduos dando alternativa inovadora às fraldas utilizadas pelos bebês


O destino final das fraldas não é diferente do de outros produtos que usamos em nosso dia a dia. Depois de usadas, elas acabam indo para o cesto de lixo e dali seguem para um aterro sanitário e, para piorar, permanecem por ali cerca de 500 anos até – finalmente – se decomporem. Mas essa história pode ter um final muito mais benéfico para o meio ambiente
por meio da economia circular, como mostra a empresa brasileira Wise Waste. Foi justamente nesse etapa do pós-consumo que ela viu uma brecha comercial e enxergou seu campo de atuação. Gustavo Torres Fonseca, gerente comercial da instituição, com especialização em negócios de impacto, explica nesta entrevista como funciona a empresa e fala da parceria com o Elvira Brandão.

Como surgiu a empresa?
A Wise Waste é uma empresa brasileira que surgiu em 2012 após uma análise de mercado, na qual observamos que existe muita inovação na cadeia de produção, desde as fases de extração de recursos até o consumo, mas praticamente nada é feito do consumo em diante. A ideia da empresa é justamente propor soluções inovadoras na etapa de pós-consumo, utilizando para isso metodologias próprias baseadas nos conceito LEAN (potencialização de resultados através da redução de desperdícios) e Design Thinking (participação dos reais usuários como centro do processo de inovação).

 

Logo da Wise Waste


Ela realiza reciclagem de outros materiais também?
Atuamos em vários segmentos, desenvolvendo soluções de logística reversa e transformação, principalmente de produtos complexos (aqueles com mais de uma matéria-prima e que atualmente ainda não têm processo específico de reciclagem), como cápsulas de café, cartuchos de impressão e embalagem de cosméticos.

Quais as possíveis alternativas para as fraldas usadas e como é feita a reciclagem?
Nesse e em todos os outros projetos, a empresa utiliza a metodologia para analisar os caminhos para reciclar o produto, transformá-lo em uma matéria-prima e achar uma aplicação para ele.
No caso específico da fralda, existem atualmente duas rotas em desenvolvimento, uma delas, que já está concretizada, é a transformação desse produto em uma espécie de poeira que é utilizada para a fabricação de pisos ou bloquetes através da tecnologia de decomposição termomagnética – na qual um equipamento atua por meio de uma temperatura elevada, mas sem levar o material à combustão. Com os testes recentes para fabricação dos pisos, conseguimos chegar ao resultado de uso de
Outra solução para as fraldas – que inclusive consideramos a principal – é a reciclagem mecânica (método mais comum), que consiste no processo esterilização e transformação do material em plástico ou itens plásticos. Vale lembrar que boa parte da composição de uma fralda corresponde à polímeros que podem ser transformados em plásticos e celulose que podem ser reciclada.

 

Bloquete feito com 70% de poeira proveniente da fralda e 30% de argamassa.


Como surgiu a parceria com o Colégio Elvira Brandão?
Como ainda estávamos desenvolvendo o protótipo, escolhemos 5 escolas para fazer os testes por um período de 2 meses. A premissa foi acompanhar escolas com estilos bem diferentes, desde uma creche de bairro, bem pequena, até um colégio grande, como o Elvira Brandão, que contempla do Berçário ao Ensino Médio. Terminaremos a fase de testes em agosto e, depois, almejamos que esse se torne um serviço oferecido para instituições educacionais por todo o Brasil.

Parceria da Wise Waste com o Elvira Brandão. Protótipos sendo implantados no Berçário.


Quanto a empresa coletou de material nesse período de teste?

Durante a fase de protótipo, somando o que foi coletado nas 5 instituições em cerca de um mês e meio, reunimos mais de 1 tonelada de fraldas.