Grupo OEP realiza 1° Fórum de Práticas Educativas.

Grupo OEP realiza 1° Fórum de Práticas Educativas.

Colégio Elvira Brandão

25 de setembro de 2021 | 11h04

Fórum OEP de Práticas Educativas/2021

Evento contou com a participação de mais de 200 educadores e gestores do Oswald de Andrade, Elvira Brandão e Piaget

Na manhã deste sábado (25),o Instituto OEP promoveu o 1° Fórum de Práticas Educativas voltado exclusivamente para professores e gestores dos colégios Oswald de Andrade, Elvira Brandão e Piaget.  Sob o tema “Como fomentar as interações pedagógicas e educacionais durante as atividades remotas, presenciais ou híbridas?”, o encontro teve como objetivo entender as mudanças e metodologias no cenário educacional causadas pela pandemia da Covid-19, as novas ferramentas tecnológicas, além da conciliação entre o ensino remoto e o presencial. 

 

Durante o período da manhã, os convidados participaram de uma mesa redonda com o tema “A escola pós-pandemia: o que aprendemos nesse processo?”, que contou com Pablo Doberti, Alcielle dos Santos, Fernando Pimentel e teve mediação de Luciana Gama.  Em seguida, o grande momento do Fórum, quando os educadores do grupo OEP, a partir de sessões virtuais, apresentaram suas práticas educativas. Durante uma hora,  aconteceram as exibições, cada uma com 20 minutos e, ao final delas, houve uma sala virtual com 30 minutos de debate, perguntas e troca de ideias entre os apresentadores e os educadores das três escolas.

Os trabalhos apresentados foram desenvolvidos durante a pandemia, nos diferentes segmentos da educação básica, e tiveram como foco a interação entre estudantes e educadores e a utilização de novas metodologias que  possibilitaram vencer a barreira do distanciamento social. Alguns projetos ainda destacaram o retorno pós-pandemia, como a readaptação escolar dos estudantes da educação infantil e o acolhimento socioemocional dos mais velhos. Ao final, 45 projetos foram apresentados, fortalecendo o senso colaborativo nas escolas do Grupo OEP. 

 

“A potência dos alunos foi alinhada com a potência dos professores, mas não é uma potência de alinhamento industrial. É a potência da individualidade, da subjetividade, da diversidade. Eu diria que o grande desafio é sistematizar a escola a partir do reconhecimento da potência dos indivíduos que a fazem ”, descreve Pablo Doberti, Founder e CEO da Vivadí e membro do conselho administrativo do Grupo OEP. “Se a gente tinha uma escola cheia de objetos, temos agora uma escola cheia de sujeitos. E esse é o grande desafio”, comenta.

 

“Recuso um pouco aquelas leituras de que a pandemia trará impactos irreversíveis. Eu acho que é uma visão um pouco trágica. A gente pode oferecer vivências  que vão oferecer aprendizagens potentes em outros momentos. Não acho que cada aprendizagem tem uma hora certa para acontecer. Isso vai deixar marcas em todos nós? Vai, como qualquer experiência positiva ou negativa ”, comenta Fernando Pimentel, psicólogo e coordenador do 6°, 7° e 8° ano do Colégio Oswald.  

 

Para Alcielle dos Santos, assessora pedagógica do Colégio Elvira Brandão e consultora  para o Novo Ensino Médio do grupo OEP, o trabalho durante esse período de ensino remoto trouxe novas práticas e saberes. “O primeiro ponto foi se desorganizar para se reorganizar. Romper  com a lógica de que a aula teria que ser o tempo todo mediada pelo professor e organizada por ele. E  o avanço que nós tivemos em autonomia e autogestão por parte das crianças foi enorme”, explica. “A escola precisa parar de roteirizar o tempo todo o que as crianças estão fazendo, com os adultos controlando tudo e fazendo toda a gestão”, continua.

 

A ideia, segundo Cláudio Giardino, diretor-executivo do Grupo OEP, “é que nos próximos anos, outros encontros aconteçam, garantindo a troca de experiências e compartilhamento dos conhecimentos”. A colaboração é um pilar fundamental em nossas três escolas, a troca fortalece a ação dos educadores na sala de aula e, consequentemente, gera maior aprendizagem dos estudantes . 


Sobre o Grupo OEP

O Grupo OEP é formado pelas escolas Oswald de Andrade, Elvira Brandão e Piaget. Atualmente possui 2400 estudantes. Essa união foi firmada com o objetivo de aprimorar a qualidade das escolas, fortalecendo seus processos pedagógicos e, ao mesmo tempo, preserva seus nomes, identidades e pilares. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.