Proposta de decoração para Festa Junina vira intervenção na paisagem do Colégio

Proposta de decoração para Festa Junina vira intervenção na paisagem do Colégio

CPV Educacional

09 Junho 2017 | 12h44


Uma escola criativa é aquela que tem a participação dos alunos. Esse é o pensamento da professora de artes do Colégio CPV, Walkiria Martelleto, que liderou o processo de decoração da escola para a Festa Junina. Muito mais que enfeitar a escola, os alunos promoveram uma revitalização das paredes da quadra esportiva.

O trabalho durou 15 dias e começou em sala de aula. “O tema geral foi a Arte Naïf, que é uma arte sem técnica ou estética de cores, mas que expressa sentimentos”, explica Walkiria. Todas as turmas, do 6º Ano do Ensino Fundamental à 2ª Série do Ensino Médio, foram divididas em grupos. Cada um pesquisou referências da Arte Naïf, como as obras da pintora Djanira, e fez uma releitura, modificando livremente os modelos para dar vazão às próprias emoções. “Nós vimos o tipo de desenho que a Walkiria queria e mudamos bastante para ficar do jeito que a gente queria mostrar: tora a alegria da Festa Junina, de poder dançar, poder participar”, conta Maria Fernanda Basílio, do 6º Ano.

Vale tudo para alcançar a proporção desejada

Já na quadra, cada grupo ganhou o equivalente a 1,20m de parede. Os esboços foram transferidos, com a ajuda da noção de proporção aprendida nas aulas de Matemática, para a parede. E na segunda-feira a escola parou para dar cor às criações. Para frustração geral, apesar da previsão ser de dia aberto, a chuva veio e os trabalhos tiveram que ser encerrados. “Eles ficaram tão decepcionados, foi de partir o coração”, conta Walkiria. “Foi muito triste mesmo, meu grupo achou que não ia dar tempo de pintar para a Festa”, completa Maria Fernanda.

A chuva permaneceu na terça, e todos olhavam o trabalho inacabado e manchado pela água com um olhar triste. Mas na quarta, com o tempo firme, todos puderam voltar à quadra e finalizar a pintura, sempre de olho no céu. Com a incerteza do clima, a organização e comprometimento mostraram o quanto cada um dos alunos queria ver o mural pronto para a Festa Junina. “Foi tenso, mas a gente conseguiu se organizar e deu tudo certo no final”, conta Talita (Lia) Pereira, da 1ª Série do Ensino Médio.

Uma atividade extra: reverter as manchas deixadas pela chuva

E foi assim que, em dois dias, usando as aulas de Artes, Esportes, Lição Monitorada – e uma mãozinha do professor de Ciências e Física Rafael Corrêa, que a quadra foi concluída. “Eu confio nos meus alunos e sabia que o trabalho seria incrível, mas é emocionante olhar as paredes e ver todo o amor, a sensibilidade e a delicadeza envolvidos”, diz Walkiria.

Mais conteúdo sobre:

Artes