Proposta de decoração para Festa Junina vira intervenção na paisagem do Colégio

Proposta de decoração para Festa Junina vira intervenção na paisagem do Colégio

CPV Educacional

09 de junho de 2017 | 12h44


Uma escola criativa é aquela que tem a participação dos alunos. Esse é o pensamento da professora de artes do Colégio CPV, Walkiria Martelleto, que liderou o processo de decoração da escola para a Festa Junina. Muito mais que enfeitar a escola, os alunos promoveram uma revitalização das paredes da quadra esportiva.

O trabalho durou 15 dias e começou em sala de aula. “O tema geral foi a Arte Naïf, que é uma arte sem técnica ou estética de cores, mas que expressa sentimentos”, explica Walkiria. Todas as turmas, do 6º Ano do Ensino Fundamental à 2ª Série do Ensino Médio, foram divididas em grupos. Cada um pesquisou referências da Arte Naïf, como as obras da pintora Djanira, e fez uma releitura, modificando livremente os modelos para dar vazão às próprias emoções. “Nós vimos o tipo de desenho que a Walkiria queria e mudamos bastante para ficar do jeito que a gente queria mostrar: tora a alegria da Festa Junina, de poder dançar, poder participar”, conta Maria Fernanda Basílio, do 6º Ano.

Vale tudo para alcançar a proporção desejada

Já na quadra, cada grupo ganhou o equivalente a 1,20m de parede. Os esboços foram transferidos, com a ajuda da noção de proporção aprendida nas aulas de Matemática, para a parede. E na segunda-feira a escola parou para dar cor às criações. Para frustração geral, apesar da previsão ser de dia aberto, a chuva veio e os trabalhos tiveram que ser encerrados. “Eles ficaram tão decepcionados, foi de partir o coração”, conta Walkiria. “Foi muito triste mesmo, meu grupo achou que não ia dar tempo de pintar para a Festa”, completa Maria Fernanda.

A chuva permaneceu na terça, e todos olhavam o trabalho inacabado e manchado pela água com um olhar triste. Mas na quarta, com o tempo firme, todos puderam voltar à quadra e finalizar a pintura, sempre de olho no céu. Com a incerteza do clima, a organização e comprometimento mostraram o quanto cada um dos alunos queria ver o mural pronto para a Festa Junina. “Foi tenso, mas a gente conseguiu se organizar e deu tudo certo no final”, conta Talita (Lia) Pereira, da 1ª Série do Ensino Médio.

Uma atividade extra: reverter as manchas deixadas pela chuva

E foi assim que, em dois dias, usando as aulas de Artes, Esportes, Lição Monitorada – e uma mãozinha do professor de Ciências e Física Rafael Corrêa, que a quadra foi concluída. “Eu confio nos meus alunos e sabia que o trabalho seria incrível, mas é emocionante olhar as paredes e ver todo o amor, a sensibilidade e a delicadeza envolvidos”, diz Walkiria.

Mais conteúdo sobre:

Artes