Feira de Negócios reúne 16 empresas criadas em sala de aula

Feira de Negócios reúne 16 empresas criadas em sala de aula

CPV Educacional

19 Outubro 2016 | 17h25

Cada grupo tem seu próprio estande durante a Feira de Negócios

Cada grupo tem seu próprio estande durante a Feira de Negócios

Criar uma empresa é muito mais do que identificar uma oportunidade e colocar a ideia para funcionar. É, também, ter que entender de legislação, mercado e finanças. Sabendo disso, o Colégio CPV aposta em aulas de empreendedorismo para alunos dos ensinos fundamental e médio. Nós acreditamos que, independente da carreira escolhida, o aluno precisa ter noção de como uma empresa funciona, por isso nossa disciplina trabalha com aspectos bastante práticos”, conta Flavio Antonietto, diretor pedagógico do CPV.

Cada série ganha um desafio diferente, levando em consideração a maturidade dos alunos. Estudantes do 9° ano montam microempresas, replicando negócios que já existem; os da 1ª série devem desenvolver produtos ou serviços ecologicamente corretos; e os da 2ª série montam startups em que o foco do negócio deve ser a inovação. A divisão garante variedade na Feira de Negócios. Quem vier à escola no próximo sábado, dia 22 de outubro, vai passar por lojinhas de brigadeiro e cupcakes, ver aplicativos desenvolvidos pelos alunos e conhecer uma proposta de produção de biogás a partir de dejetos animais, por exemplo.

A apresentação da empresa na Feira de Negócios faz parte da avaliação do grupo

A apresentação da empresa na Feira de Negócios faz parte da avaliação do grupo

Os passos para a criação das empresas são semelhantes em todas as turmas e, claro, seguem as etapas da vida real. Cada grupo deve pensar na empresa que quer montar e discutir seu objetivo. Uma vez que o negócio esteja definido, começam as noções de direito empresarial para escrever o contrato social. O próximo estágio é a gestão do negócio, com a definição de missão, visão e valores. Depois, mais uma rodada de legislação, dessa vez trabalhista, estabelecendo o organograma e a força de trabalho da empresa. Em seguida entram as atividades de marketing, determinando os 4 Ps – produto, preço, praça e promoção.  “Ao longo do ano, mostramos na prática profissões como administração, marketing, direito, economia, finanças e comunicação; além disso, eles começam a ter uma ideia muito clara de onde os conhecimentos de disciplinas como biologia, geografia, física e química podem ser aplicados”, diz Vanete Lopes Donega, professora de empreendedorismo.

Os alunos do 9° ano param nesta etapa, enquanto os do ensino médio seguem para as análises de negócio e de mercado e para a gestão de viabilidade financeira da empresa, tratando de capital social, investimentos, custos fixos e variáveis. “Pode ser que, no futuro, o aluno decida fazer odontologia, por exemplo. Eu tenho certeza que, na hora de abrir seu consultório, ele vai lembrar das aulas”, finaliza Vanete.