Escola be.Living incentiva a utilização do espaço e a livre expressão na construção da educação construtivista

Escola be.Living incentiva a utilização do espaço e a livre expressão na construção da educação construtivista

Colégio be.living

20 Julho 2015 | 11h25

Texto escrito por Letícia Araújo professora do Year 1

Sonhar com uma sociedade ideal, o mundo perfeito e transformações na nossa vida não é mérito apenas dos educadores. Mas construir o ambiente que possibilitará a gestação dos sonhos dos adultos futuros é o que move nossas vidas. É o motivo pelo qual nos levantamos todas as manhãs, está nos livros ao lado da cama, nas conversas cotidianas e nos posts do facebook. Professores não querem transmitir seu sonho aos seus alunos, querem dar-lhes todas as oportunidades e condições para que eles possam construir seus próprios, e mais: que possam torna-los realidade.

A educação que acreditamos, as práticas pedagógicas que pautam nosso cotidiano dialoga o tempo todo com as teorias dos grandes pedagogos, com as capacidades de nossos alunos e com a vida. E hoje, foi isso que vi: a escola se abrindo à vida permitindo a construção de aprendizagens que vão além de nossos planejamentos. A partir das trocas e vivências das crianças, vamos vendo nossos alunos se apropriarem do espaço educacional transformando-o. Imprimem nele uma linguagem que vai sendo própria dessa instituição.

As crianças da be.Living entendem que o espaço escolar é um espaço comunitário e de cooperação. Por isso o transformam em espaço vivo, significando suas aprendizagens e transformando nossos sonhos de educadores em realidade. Quando atravesso o parque e percebo obras espontâneas dos alunos, quando observo um grupo de alunas de segundo ano construindo uma exposição artística ao ar livre, quando vejo o espaço entre as salas de aula ser decorado com produções a partir de uma técnica que foi ensinada à toda a escola por um aluno de primeiro ano, quando vejo os mais velhos em reuniões de comissão para organizar nossa festa mais importante sei que construímos um ambiente de educação real. E vou aos poucos, vendo meus sonhos de educadora se materializarem na minha frente através das mãos deles.

“Em resumo, só faremos educação se deixarmos que cada criança realize a sua própria experiência e adquira os mecanismos em estreita ligação com a elaboração do seu pensamento. De outro modo, ela desperdiça, em puro detrimento da sua formação de homem, as horas mais preciosas de sua existência. E forja o instrumento da sua escravização.” (CÉLESTIN FREINET, 1977. Pedagogo francês.)

Foto 16 Foto 1 Foto 4 Foto 5 Foto 9 Foto 13 Foto 14 Foto 15