O ensino da linguagem musical para os estudantes

O ensino da linguagem musical para os estudantes

Colégio Anglo 21

20 Outubro 2016 | 10h45

* Por Maurício Paixão

IMG_4893

Pensar a música como possibilidade de integrar o currículo escolar, hoje é coisa do passado. O ensino da linguagem musical, como componente da disciplina Arte, já é visto como indispensável para a formação do aluno deste século. Não estamos mais falando daquele aluno que era capaz de entender e executar regras que pouco conseguia se expressar com autonomia e utilizar diferentes ferramentas de interação com seu entorno. Pela rapidez no acesso a informação, onde tudo está disponível em alguns “Mbps” (Mega bytes por segundo), contribuir com a formação de pessoas que sabem fazer uso desta agilidade informativa é também um diferencial da escola moderna.

O projeto de artes do Colégio Anglo 21 possibilita autonomia para que os professores ofereçam atividades onde o aluno possa canalizar e usar suas referências musicais e sonoras, na produção, apreciação e registro. Como se isso não fosse o bastante, pensar a música de forma interdisciplinar, como parte integrante de qualquer relação com a arte a partir de uma propriedade fundamental: o movimento.

IMG_4894

Ao apreciar uma obra de Van Gogh, é nítida a expressão de sua relação com o mundo e de como isso o movia internamente. Cenas de teatro ganham força na intersecção com o som. A sétima arte não se estabeleceria sem ter feito bom uso da organização do movimento do som, dos silêncios no tempo e no espaço.

Música é movimento e, partindo deste princípio, as aulas de música, ou musicalização, visam propor aos alunos experiências que vão além da pura execução musical. Um espaço onde ele possa, andar, correr, saltar, manipular objetos, apreciar, registrar, interpretar, ressignificar, tocar, dançar, cantar etc., ampliando sistematicamente suas experiências sensíveis musicais, seu repertório, a expressividade que passa, ou começa pelo corpo e a valorização da música como produto cultural e histórico. Músicas e sons do mundo. Não, a aula de música não é o momento para o aluno “relaxar”, “se divertir” ou “extravasar”.

IMG_4895

As aulas podem ter este caráter dependendo da proposta de cada professor, mas a aula é o momento de um aprendizado complexo que informa, forma, induz e conduz, questiona e responde. Ou seja, é também na aula de música, o momento para o aluno refletir, criticar e aprender a aprender, pois espera-se que o aluno saia da condição passiva e puramente receptiva e seja protagonista do processo e resultado. Tudo isso feito com prazer.

IMG_4896

Por fim, o que sem dúvida é o maior diferencial da escola moderna, o principal objetivo da aula de música é exercitar a capacidade de se ouvir, ouvir o outro e conviver com as diferenças.

* Maurício Paixão é professor de música do Colégio Anglo 21

Mais conteúdo sobre:

anglo 21MúsicaArteLinguagem