Inglês e música? Confira 4 dicas de como aprender o idioma cantando

Nathalia

27 Novembro 2018 | 16h41

Extremamente presente na rotina de uma grande parcela de pessoas, a música faz parte da nossa vida desde os momentos mais relaxantes, como o banho, até os que pedem mais atenção e foco, como o trabalho. Mas, independente da funcionalidade principal para cada situação, há um aspecto que permeia todas elas: a música pode ser uma importante aliada para desenvolver e exercitar a compreensão auditiva (listening) e a comunicação oral (speaking) em outra língua, como o inglês.
O recente estudo All About Music concluiu que os brasileiros consomem quase cinco horas diárias de música. Então, esse tempo pode ser aproveitado para ouvir suas canções favoritas no idioma considerado o elo de ligação para o relacionamento de cidadãos de qualquer lugar do mundo. Isso contribui para ampliar o vocabulário, treinar os ouvidos, melhorar a pronúncia e dar ritmo à fala. E, ainda, adotar essa prática com regularidade torna a absorção de conteúdo e a aquisição do conhecimento mais natural ao estar ligado a ocasiões comuns do dia a dia, fazendo com que tudo esteja inserido em um contexto mais familiar e real.
Se você é uma dessas pessoas que não desgruda do fone de ouvido, Alberto Costa, senior assessment manager de Cambridge Assessment English, departamento da Universidade de Cambridge que atua com certificação internacional de língua inglesa, listou algumas dicas que podem ser úteis para unir o hobby ao aprendizado:

1. Escolha as músicas certas
É claro que toda exposição é válida! De Boyce Avenue com suas versões acústicas de hits do momento, passando pelos clássicos do pop atual com Katy Perry ou até o heavy metal do Metallica, toda escolha pode contribuir para um avanço no domínio do inglês. Apesar disso, há algumas opções de faixas ou de estilos que são melhor pronunciadas do que outros, o que para quem está aprendendo faz bastante diferença em função da melhor compreensão auditiva.
Músicas dos Beatles, por exemplo, são um bom exemplo quando falamos de pronúncia e de ritmo de fala. As letras são fáceis e coloquiais, o que ajuda na clareza do entendimento e na assimilação de novas palavras para o vocabulário, e são reproduzidas em um ritmo mais calmo e mais possível de ser acompanhando por quem domina um nível mais básico ou intermediário. Outra boa opção são as canções infantis, justamente em função da pronúncia menos acelerada e da sua construção correta.

2. Atente-se às novas palavras, expressões e construções
As músicas agregam (e muito) para o vocabulário em inglês. Conseguimos tirar delas inúmeras frases, expressões e modelos de construção de frases úteis para usar no dia a dia. Isso porque, elas são direcionadas para o público nativo, o que significa dizer que há uma combinação entre as regras mais formais de linguagem com maneiras coloquiais de se expressar, além de palavras, gírias e locuções atualizadas.
Enquanto ela rola solta, tenha a mão papel e caneta para fazer anotações referentes a dúvidas ou palavras que não conheça para posteriormente buscar seu significado e a aplicação na norma escrita por meio de conteúdos em inglês, como os dicionários monolíngues. Assim, você exercita não apenas a audição, como também duas outras duas habilidades que complementam o aprendizado: a escrita e a leitura.

3. Traduza as letras
Ainda nesse sentido, traduzir a letra da música é uma boa opção para checar se você entende o significado delas. Para isso, o ideal é iniciar com base no conhecimento que já se tem e procurar aquilo que não domina por meio do dicionário e não de ferramentas online de tradução.
Isso é importante por que os dicionários monolíngues contêm informações detalhadas sobre como palavras e frases são usadas e não apenas o seu significado, o que ajudará a assimilar o emprego de pronomes e phrasal verbs, por exemplo.
Ao terminar, compare com a letra traduzida por conta própria com as que existem já traduzida na Internet. É possível que no início você cometa alguns erros, o que é natural e pode ser resolvido com tempo e treino. Mas, é importante também entender que as palavras possuem sinônimos e mais importante do que a tradução ao pé da letra é o entendimento do contexto em si do que é transmitido pela história daquela canção.

4. Solte a voz!
Por fim, uma das partes mais importantes e também mais divertidas! Ao pronunciar a canção em voz alta, acompanhando a letra, você tende a trabalhar a musculatura do rosto para a fala e também entende melhor o que está cantando. A bagagem de conhecimento é adquirida por meio de uma tarefa que desperta prazer e isso propicia que a memória seja melhor ativada. E a repetição constante estimula o ganho no ritmo da fala. Mais do que quem canta seus males espanta, quem canta com o inglês avança!