Exames de proficiência em inglês no ensino regular: o que as experiências do Colégio Oficina do Estudante, da Aubrick Escola Bilíngue Multicultural e do Colégio Santa Maria nos ensinam

Nathalia

26 de maio de 2021 | 18h13

Já falamos por aqui algumas vezes que o inglês deixou há muito tempo de ser um diferencial para se tornar indispensável na definição das oportunidades de futuro para os atuais estudantes, já que a globalização estimula que as principais universidades e também empregadores solicitem o idioma como pré-requisito em seus processos seletivos para um total desempenho das funções que serão executadas – sejam elas acadêmicas ou profissionais.

E ganha em competitividade aquele jovem que hoje estuda em uma instituição que o ajuda a enxergar esse diferencial competitivo para o futuro da sua empregabilidade e mobilidade internacional. Isso porque, em geral, essas necessidades de aprofundamento na língua inglesa e de comprovação do seu domínio são descobertas apenas às vésperas das inscrições para os vestibulares – principalmente de universidades fora do país – e sem o preparo ideal ao longo da vida ou os planos são adiados ou o rumo é forçadamente mudado.

Apesar de o Brasil ter despertado tardiamente para a importância do idioma, essas escolas já trabalham com os exames de proficiência há pelo menos uma década, e com o passar do tempo foi possível observar movimentos interessantes por parte de escolas regulares que ocupam esse espaço de aproximação das famílias e dos alunos com uma trilha de aprendizagem e de testagem dos estudantes para transformá-los em cidadãos globais, para que saiam do Ensino Médio munidos de um conhecimento capaz de abrir muitas portas.

Essa etapa de avaliação muitas vezes tem Cambridge Assessment English como parceiro de certificação em função do portfólio completo e pronto para que seja implementada uma jornada de proficiência que estimula cada aluno a evoluir suas habilidades até que seu objetivo final seja alcançado. E os benefícios disso são muitos para todos os envolvidos e não apenas para as crianças e adolescentes que passam pelo processo.

Para os pais, por exemplo, investir em escolas que se preocupam com esse aspecto significa ter a certeza do retorno do seu investimento e também a segurança de prover o que há de melhor para um futuro de oportunidades para seus filhos. Para a escola, estamos diante de um diferencial competitivo junto ao público decisor. E, para os professores, o departamento da Universidade de Cambridge os apoia com uma série de recursos (e até mesmo qualificações em alguns casos) para que sigam em desenvolvimento contínuo.


Exemplo disso que estamos falando são três das seis escolas escolhidas por Cambridge English dentre os milhares de Centros Preparatórios que operam no Brasil para receber um reconhecimento por seu comprometimento com os exames e os esforços no preparo dos alunos. São elas: o Colégio Oficina do Estudante, em Campinas; a Aubrick Escola Bilíngue Multicultural; e o Colégio Santa Maria, ambos em São Paulo. Essas instituições são referência na aplicação dos exames de Cambridge English e hoje vamos conhecer um pouquinho mais sobre a história de cada uma delas nessa esfera.

Desde 2015 o Colégio Oficina do Estudante aplica as certificações de Cambridge English. Com opções que passam pelos níveis infantis – Pré A1 Starters, A1 Movers, A2 Flyers – até as de nível intermediário – A2 Key e B1 Preliminary for schools, o colégio garante certificações para todas as idades durante os ciclos percorridos pelos estudantes. A aplicação dos exames segue um calendário específico e já previsto na organização anual do colégio. Além disso, a aplicação das provas é inserida no contrato de matrícula e amplamente divulgada nas campanhas de captação da instituição.

E o interessante é que essa postura garante o uso do idioma de forma diferenciada ainda no próprio âmbito escolar. Nas palavras de Antunes Rafael dos Santos, Diretor Pedagógico, “Os principais benefícios giram em torno da seriedade que os exames imprimem às aulas de inglês. O uso de material didático adequado a essa preparação assegura um trabalho consistente e há, nitidamente, o desenvolvimento das habilidades de comunicação entre os alunos. Dessa forma, é possível aplicar outras atividades extracurriculares que pressupõem o uso da Língua Inglesa para sua efetivação”.

Já a Aubrick Escola Bilíngue Multicultural, que aplica os exames de Cambridge English desde sua concepção, oferece aos alunos uma trilha composta por: Pre A1 Starters, A1 Movers, A2 Flyers, B1 Preliminary for schools e B2 First for schools, também fazendo com que seus alunos apliquem às provas durante todos os anos, finalizando a escolaridade na Aubrick no 9º ano com nível B2, conforme o Quadro Comum Europeu de Referência para Línguas.

O que Bianca Caligher, Coordenadora de Cambridge International e Exames de Línguas, destaca é que as certificações proporcionam à comunidade de pais e alunos um valioso feedback de uma instituição robusta e internacional como Cambridge Assessment English com relação ao investimento em uma educação bilíngue. Além disso, para alunos que conquistam os certificados de nível B1 e B2 estão aptos a usar essa validação em uma possível mudança de país e/ou necessidade de comprovação do nível de inglês.

“Em nossa escola integramos as habilidades necessárias para um bom desempenho nos exames ao nosso currículo de English no programa Cambridge International. Nossos educadores se beneficiam com todo apoio e recursos de Cambridge English, através de uma plataforma ampla com materiais variados e oferta de webinars.”

Por fim, o Colégio Santa Maria, que também aplica os exames de Cambridge há 10 anos, inicia a certificação em nível intermediário com o B1 Preliminary for schools e o B2 First for schools e tem alunos prestando, no ensino médio, até o exame avançado C1 Advanced.

No Santa Maria, os exames fazem parte do currículo, as salas são divididas por níveis de proficiência e o colégio oferece simulados dos exames ao longo do ano. O material didático é escolhido para atender à preparação para os exames e são obrigatórios para alunos da 2ª e 3ª séries do Ensino Médio, todos sem custo adicional.

Roberta Edo, coordenadora de inglês, elenca os benefícios ao ecossistema de educação atendido pela instituição da seguinte forma: “reconhecimento internacional, proficiência da língua, engajamento dos professores, estudo contínuo da equipe pedagógica, acesso à universidades e leitura de trabalhos internacionais”.

Em suma, o movimento cada vez maior das escolas regulares se tornando também centros preparatórios dos exames Cambridge English é importante e agrega não só para a instituição no sentido de ser uma melhor opção para os pais que procuram por um ensino integrado, como também – e principalmente – para os alunos que serão beneficiados pela parceria.

Para saber mais sobre cada um desses projetos, acesse os sites das instituições:
Colégio Santa Maria
Colégio Oficina do Estudante
Aubrick Escola Bilíngue Multicultural

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.