Educação bilíngue: o que muda com as novas diretrizes do MEC para professores?

Cambridge Assessment English

28 de outubro de 2021 | 09h04

Se você é professor de inglês, provavelmente já ouviu falar que em 2020 o Ministério da Educação e Cultura (MEC) publicou novas diretrizes que regulamentam a educação plurilíngue no Brasil. De acordo com elas, as escolas regulares que desejarem se autodenominar bilíngues precisarão atender a uma série de critérios claros e objetivos, inclusive sobre a formação de professores que compõem o seu corpo docente. Mas, você sabe, ao certo, o que muda no contexto da educação bilíngue e com carga estendida a partir dessas novas orientações? Vamos te ajudar a compreender melhor esse novo cenário.

Confira abaixo os principais pontos que impactam a sua carreira e o que muda para escolas, professores e alunos:

Definição de educação bilíngue

A primeira mudança é que, com o documento, o MEC passa a adotar uma definição clara das diferentes categorias de instituições de ensino regular; escolas bilíngues; escolas com carga horária estendida em língua adicional; escolas brasileiras com currículo internacional; e escolas internacionais.

Ele define que “as escolas bilíngues se caracterizam por promover currículo único, integrado e ministrado em duas línguas de instrução, visando ao desenvolvimento de competências e habilidades linguísticas e acadêmicas dos estudantes nessas línguas.”

Formação de professores

Para atuar em escolas bilíngues e com carga horária estendida, continua a valer a Lei de Diretrizes e Bases no Brasil que define o requisito mínimo de formação em Letras, Pedagogia ou Licenciaturas em áreas específicas para os anos iniciais e finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio.

Entretanto, as diretrizes da Educação Plurilíngue definem duas novas obrigatoriedades para todos os professores que forem ministrar sua disciplina ou componente curricular em língua adicional (e não apenas para professores de linguagens). São elas: 

1 – Formação complementar em Educação Bilíngue. Um curso de extensão com, no mínimo, 120 horas, que pode ser também pós-graduação ou mestrado reconhecido pelo MEC. 

2 – Comprovação de proficiência de nível mínimo B2 no Quadro Comum Europeu de Referência para Línguas (CEFR) 

Avaliação dos estudantes

A partir da sua implementação, as diretrizes da Educação Plurilíngue definem que além de professores certificados, os alunos também precisam ter sua proficiência comprovada em determinados anos de cada ciclo para legitimar que o seu aprendizado é bilíngue. 

  • Até o término do 6º ano do Ensino Fundamental

80% dos alunos devem comprovar proficiência de nível mínimo A2 no CEFR

  • Até o término do 9º ano do Ensino Fundamental

80% dos alunos devem comprovar proficiência de nível mínimo B1 no CEFR 

  • Até o término do 3º ano do Ensino Médio

80% dos alunos devem comprovar proficiência de nível mínimo B2 no CEFR

Ou seja, tornou-se urgente e primordial que os professores estejam preparados para comprovar sua proficiência em inglês de maneira alinhada aos parâmetros internacionais – que já detalhamos aqui.

Como se preparar?

Agora que você já sabe das obrigatoriedades das novas diretrizes do Ministério da Educação e Cultura (MEC) para a educação bilíngue e também sobre a importância de certificar-se de acordo com os parâmetros do Quadro Comum Europeu de Referência para Línguas (CEFR), é preciso agir.

O primeiro passo para você começar hoje mesmo o seu planejamento para atuar no futuro bilíngue é descobrir qual seu nível atual de inglês. E a partir dessa descoberta traçar um planejamento efetivo de como alcançar e comprovar o nível B2 para o mercado de trabalho.

Um bom caminho para essa descoberta pode ser investir em um teste multinível, como o Linguaskill, que com a qualidade e precisão de Cambridge English vai te ajudar a fazer um diagnóstico do seu conhecimento no idioma em até 48 horas e de maneira alinhada ao CEFR. Ele pode ser feito de forma totalmente remota e você garante seu acesso a um Test Report detalhado, com explicações do significado da pontuação de cada habilidade linguística, o que pode te ajudar a progredir ao traçar um plano de ação para desenvolver os pontos de atenção.

Para esse segundo passo de desenvolvimento que vai te levar de onde você está hoje para o seu futuro bilíngue, além de recursos gratuitos para aperfeiçoar sua proficiência – como o Exam Lift, o Write&Improve e também o Speak&Improve – Cambridge English conta também com uma ferramenta que pode auxiliar você nos aspectos metodológicos. É o Cambridge English Teaching Framework, que olha para cinco principais competências mapeadas e quatro estágios de desenvolvimento possíveis dentro de cada uma: Foundation, Developing, Proficient e Expert. Confira e saiba mais.

E, por fim, em um mercado competitivo, tão importante quanto evoluir, é comprovar para o mercado o quanto você está preparado e se diferencia da concorrência. Portanto, quando estiver pronto para comprovar seu nível B2 de proficiência busque um exame internacional como o B2 First de Cambridge English. A certificação vai ser o seu passaporte para esse futuro bilíngue!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.