Dificuldade em se adaptar ao novo mundo conectado? Recursos de transformação digital podem ajudar nisso

Cambridge Assessment English

19 de março de 2021 | 09h33

A chegada e o avanço da pandemia de Covid-19 ao longo dos últimos meses teve um forte impacto na adesão ao estudo remoto. Com grande parte dos alunos do país e do mundo ainda afastados das salas de aula, o ambiente digital se tornou o novo espaço de aprendizado da maior parte desses indivíduos. E mesmo com algumas definições do Brasil a respeito da retomada das aulas presenciais, a chegada do ambiente online sem dúvidas é uma tendência que veio para ficar.

E a tendência parece ter se transformado no novo normal. O banco inglês Ibis Capital já aponta que o mercado global de Edtechs (como são chamadas as startups voltadas para a educação) deve crescer em torno de 17% até o final de 2020, alcançando um faturamento superior a US$ 252 bilhões. No Brasil as receitas do segmento crescem em média 20% ao ano de acordo com a Associação Brasileira de Startups (ABStartups).

Apesar disso, essa aceleração abrupta na transformação digital do setor fez com que nem todos os professores tenham tido o tempo necessário para se preparar e para se adaptar. Novas noções de metodologia, ferramentas e segurança estão em desenvolvimento.E para os docentes que precisam de apoio nessa reinvenção a boa notícia é que existem inúmeros recursos digitais disponíveis para ajudar. Confira abaixo dois exemplos:

The Digital Teacher

Voltado para o aperfeiçoamento digital dos docentes de qualquer disciplina, o recurso desenvolvido por Cambridge Asessment English, departamento da Universidade de Cambridge voltado para avaliação de proficiência em inglês e preparo de professores, é totalmente gratuito e convida cada profissional a se autoavaliar levando em consideração a familiaridade com as tecnologias que surgem no ambiente da educação.

A partir de um teste remoto rápido a plataforma identifica o nível pessoal de habilidades em algumas competências-chave que abordam desde produtividade, aspectos legais e gerenciamento das informações, passando por metodologia, aperfeiçoamento do idioma e adoção de recursos, até colaboração, curadoria, plano de aula, integração entre canais de ensino e avaliação.

Com esse panorama são indicadas sugestões de caminhos para o desenvolvimento profissional, que envolvem leituras, webinars, MOOCs, e também dicas práticas que podem ser adotadas com facilidade no dia-a-dia, como apps, sites e soluções em nuvem, por exemplo.

No portal há ainda uma seção voltada para o compartilhamento de exercícios e modelos de tarefas que podem ser aplicadas para si mesmos ou para os alunos dentro e fora da sala de aula; reviews elaborados por especialistas sobre diferentes aplicações e um blog para que a comunidade de professores divida histórias sobre as suas jornadas digitais.

Para acessar basta clicar no link: https://thedigitalteacher.com/

Write&Improve

Apesar de não ser um recurso específico de desenvolvimento de habilidades, o Write&Improve, plataforma de estímulo da escrita em inglês, pode ser um aliado dos docentes no dia a dia virtual em função da otimização de tempo.De maneira simples e intuitiva, o usuário escolhe um tema, escreve seu texto no idioma e submete a um sistema que retorna um feedback em segundos do que pode ser melhorado em termos de gramática e vocabulário, o que inclui dicas sobre pronomes faltantes, palavras pouco usadas ou grafias e construções incorretas, por exemplo.

Depois da correção o usuário pode refazer sua redação e submeter à plataforma novamente. O progresso é acompanhado em um gráfico que contabiliza a quantidade de vezes que o conteúdo foi reescrito e sua evolução em termos de nível, que segue os parâmetros internacionais do Quadro Comum Europeu de Referência para Línguas (CEFR), que categoriza o domínio em níveis que vão do A1, considerado básico, até o C2, correspondente à proficiência plena.

Além disso, há uma área da ferramenta dedicada a professores, trata-se do Class View,  seção da ferramenta onde os professores podem agrupar seus alunos por classe, definir atividades para os estudantes, recebê-las corrigidas pela ferramenta, acrescentar seu próprio feedback, e ainda obter relatórios por tarefa, por aluno e por classe.

Ou seja, é possível que a plataforma seja incorporada para lições de casa e, ao delegar o papel operacional da correção para ela, o professor ganha mais tempo para tratar dos pontos de melhoria quando está em contato com os alunos. A tecnologia chegou para ajudar cada vez mais os docentes, seja facilitando a vida em sala de aula ou ajudando no aperfeiçoamento, basta saber como usá-la!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.