Como pais e professores podem trabalhar juntos no aprendizado de inglês?

Cambridge Assessment English

19 de maio de 2022 | 17h13

O aprendizado de um novo idioma é uma longa jornada que pode ser afetada por inúmeros fatores como idade, motivação, autoconfiança, oportunidades de prática dentro e fora da sala de aula, domínio da língua materna e, até mesmo, envolvimento dos pais no processo de aprendizado.

Sim, a família tem grande impacto no processo de aprendizagem de uma criança. Já foi concluído por estudiosos da temática e está até previsto nas Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional que a educação de uma criança é dever tanto da família quanto da escola.

À família cabe a responsabilidade de primeira educadora, ensinando e orientando a criança em relação aos valores morais e sociais. E à escola cabe a obrigação de ensinar os conteúdos das áreas do saber – incluindo o inglês.

Mas, essas delimitações que citamos acima são apenas as responsabilidades “gerais” de cada instituição, não significa que uma criança não possa aprender valores na escola e nem que os familiares não possam auxiliar o aprendizado com práticas em casa, facilitando o processo de aprendizagem do conteúdo visto em aula.

Com esse suporte duplo – dos pais e professores – a criança tem muito mais chances de praticar o inglês que aprendeu em sala de aula. Além desse fator da absorção do conteúdo, quando a família participa ativamente do aprendizado de seus filhos, a tendência é que os alunos se dediquem e se esforcem mais em função do apoio e amor que estão recebendo.

Como os pais podem trabalhar em conjunto com professores?

Olhando todas as informações que vimos até agora, conseguimos entender os motivos pelos quais é tão fundamental que pais e responsáveis estejam engajados nos estudos de suas crianças.

Pensando nisso, trouxemos para aqueles que querem começar a ser mais participativos no aprendizado de inglês dos seus filhos e querem trabalhar junto com os professores alguns conselhos de uma das escolas que usam as Qualificações Cambridge English, a Interlíngua Rhodes School, na Grécia.

Por mais que não existam duas escolas iguais – geralmente, as instituições de ensino têm diferentes ideias e utilizam variadas técnicas de ensino – algumas coisas não mudam no cenário geral do aprendizado. Por isso, a primeira maneira de um pai se envolver mais é conversando com os professores e questionando os seguintes pontos:

  • Como posso apoiar a aprendizagem do meu filho?
  • Como podemos manter contato sobre o progresso do meu filho?

É comum que os responsáveis esperem pela reunião geral de pais e professores para conversar sobre o aprendizado dos alunos. Ou, até mesmo, esperem que surja alguma dificuldade para sentir que devem estar mais engajados nos estudos dos filhos. Mas, não é aguardar apenas por um desses momentos. É possível ter uma atitude proativa e entrar em contato com os professores dos filhos.

Além disso, para deixar os pais mais engajados com o processo de aprender inglês, a escola pode contribuir ao mostrar para os pais como ajudar o filho nos estudos; a melhor forma de utilizar recursos como livros, vídeos e músicas; e como ajudar o pequeno a desenvolver suas habilidades de estudo, para que não se sinta sobrecarregado e estressado.

O melhor aproveitamento das reuniões de pais e professores

Em qualquer escola, as reuniões entre pais e professores são uma ótima oportunidade para discutir abertamente sobre o progresso da criança e entender os resultados dos exames realizados. Mas, não somente isso, muitos pais e professores querem saber sobre a saúde em geral e entender se as crianças estão felizes.

Logo, as reuniões de pais e professores nas escolas podem tratar dos mais variados assuntos, por exemplo: como fornecer um suporte extra; novos métodos de ensino; saúde social e emocional e assim por diante. Como esses momentos são, muitas vezes, rápidos é possível, por exemplo, preparar algumas perguntas base para o melhor aproveitamento do tempo:

  • Qual é o próximo grande desafio para o meu filho?
  • Como posso ajudar meus filhos a trabalharem nisso em casa?
  • Quais tipos de atividades ajudaram meu filho a progredir mais?

Apoiando o estudo em casa

Os pais não precisam necessariamente ser proficientes em inglês para poder ajudar seus filhos a estudar o idioma. Mesmo sem o domínio, eles exercem um papel importante de apoio, principalmente na hora de encorajar que a criança aprenda a falar uma segunda língua. Por isso, é altamente encorajado pela escola que ofereçam oportunidades regulares de usar o inglês em casa, algo que faz uma grande diferença.

Em casa, o Interlíngua orienta os pais a realizar uma série de atividades:

  • Ler histórias em inglês;
  • Assistir programas de TV em inglês;
  • Ouvir músicas em inglês;
  • Ler notícias em inglês;
  • Usar aplicativos educacionais em um tablet/telefone celular;
  • Ir às compras com uma lista de compras em inglês;
  • Cozinhar uma refeição com uma receita em inglês;
  • Ler um mapa e dar orientações de direção em inglês;
  • Jogar um jogo de tabuleiro em inglês;
  • Gravar qualquer palavra em inglês que ouça e veja (inclua fotos ou recortes de imagens de revistas);
  • Fazer viagens educativas.

Tudo isso faz com que os alunos fixem o conteúdo visto em aula e até mesmo ajuda os pais a aprender sobre o idioma em uma jornada de aprendizado compartilhada.

Feedback que as Qualificações Cambridge English oferecem para o aluno

A vantagem de uma escola que trabalha com as Qualificações Cambridge English é obter um feedback aprofundado sobre as habilidades de uma criança. Depois de realizar o exame, os pais podem discutir os resultados com os professores do aluno e entender mais sobre:

  • Quais habilidades o teste mediu
  • Os pontos fortes e fracos de um aluno
  • Quais recursos de aprendizagem um pai pode utilizar para apoiar seu filho

Isso é importante para entender o nível de desenvolvimento de um aluno. E, de acordo com depoimentos que Cambridge obteve com escolas que aplicam os exames, os testes ajudaram professores a estreitar a comunicação com os pais. Por sua vez, os pais estão mais cientes das forças e déficits de seus filhos no inglês e podem apoiá-los com mais assertividade.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.