B2 First: você conhece um dos exames mais populares de Cambridge English no Brasil?

Nathalia

27 de janeiro de 2020 | 15h52

Por conta da globalização intensa que vivemos hoje, da noção crescente de cidadania global e também da exigência cada vez maior por parte de instituições de ensino e empregadores no exterior, os exames de proficiência em inglês têm atraído cada vez mais procura por parte de quem precisa comprovar suas habilidades no idioma, por quem deseja agregar um diferencial ao currículo e também por quem já se prepara para o momento em que isso será necessário.

O B2 First, por exemplo, é um dos exames mais populares no Brasil, correspondendo a 30% de todas as certificações realizadas anualmente no País. Só nos últimos cinco anos o número de candidatos brasileiros mais do que dobrou, indicando um crescimento de 130%. Essa crescente é a tendência a cada ano e vale levar em conta se não é o momento de você considerá-lo para si e para seus filhos e alunos.

Vejamos então algumas particularidades dele. Criado em 1939 com o nome de “Lower Certificate in English”, o exame tornou-se de fato conhecido pelo mundo durante a 2ª Guerra Mundial, época em que era utilizado como comprovação de domínio do inglês por prisioneiros de guerra e funcionários administrativos.

Ele representa um nível médio de domínio de inglês no Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas (CEFR) e leva em consideração conhecimentos de nível intermediário superior, sendo ideal para candidatos que desejam provar que têm as habilidades linguísticas para morar, estudar ou trabalhar de forma independente em um país de língua estrangeira ou até mesmo se candidatar a uma vaga de emprego no Brasil que necessite de comprovação desse conhecimento.

O exame B2 First é reconhecido por mais de 6.200 instituições de ensino superior em mais de 110 países, como a Universidade de Cambridge (UK), a California State University (USA), a Loyola University (USA), a Virginia Tech (USA) e a Douglas College (Canadá), além de empregadores como a BMW (UK), a L’Oréal (UK), a Adecco (Espanha) e o Banco de España (Espanha), e também por departamentos de Imigração, como o da Irlanda.

Na estrutura da prova, 1h15 é dedicada para reading e use of english (leitura e gramática), 1h20 para writing (escrita), aproximadamente 40 minutos para listening (compreensão auditiva) e 14 minutos para speaking (oral).

Ao aplicar para o exame, o resultado chega para o candidato por meio de uma pontuação global na Cambridge English Scale, que detalha o nível alcançado em cada uma das diferentes habilidades avaliadas. Isso confere quatro possibilidades em relação ao desempenho: aprovação; certificação estendida superior (quando além de aprovado o candidato demonstrou dominar um nível superior de conhecimento, que resulta no recebimento de um relatório que atesta o nível C1); certificação estendida inferior (quando o candidato não foi aprovado, mas obteve pontuação equivalente ao nível do exame imediatamente inferior e, dessa forma, recebe um relatório com o atestado de nível B1) e reprovação. Esse aprofundamento não costuma ser pedido nos processos de admissão, mas permite que cada um conheça mais profundamente suas habilidades e identifique pontos de melhoria.

Gostou do que leu a respeito do exame? Para quem pensa em aplicar para essa certificação futuramente a boa notícia é que vamos começar, a partir de hoje, uma série com dicas, exemplos, curiosidades e estatísticas a respeito do exame B2 First. Mas, se quiser começar a se familiarizar desde já com o que te espera é uma boa ideia conferir o simulado disponível no canal de YouTube de Cambridge Assessment English: www.youtube.com/watch.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: